Automotive Business
  
Siga-nos em:

Notícias

Ver todas as notícias

Negócios | 23/09/2016 | 15h34

Volkswagen pretende reduzir o número de funcionários no PPE

David Powels, presidente da montadora, quer acelerar a produção

MÁRIO CURCIO, AB

O presidente da Volkswagen Brasil e América do Sul, David Powels pretende acelerar a produção e aproveitar melhor a força de trabalho das fábricas brasileiras da companhia. "A resposta terá de vir do mercado. Continuaremos utilizando as ferramentas de flexibilização, mas pretendemos reduzir a quantidade de pessoas inseridas no PPE”, declarou em entrevista à Automotive Business durante o lançamento do Golf 1.0 (leia aqui).

Ter número menor de trabalhadores no Programa de Proteção ao Emprego, que permite diminuir a jornada de trabalho, é uma das possibilidades para que a montadora alcance a produção mensal de 50 mil carros nos próximos dois meses. O volume irá reabastecer a rede e retomar as exportações depois de as fábricas brasileiras da companhia terem enfrentado quase sete semanas de interrupção pela falta de peças, que levou ao cancelamento de contratos com o Grupo Prevent (leia aqui).

Segundo Powels, a parada afetou a venda de todos os veículos da gama da marca. “Não houve um modelo ou fábrica mais prejudicado.” A Volkswagen aponta que, para retomar a produção, foi necessário reunir o trabalho de 12 fornecedores. Há ainda componentes sendo feitos dentro da fábrica de São Bernardo do Campo (SP) por funcionários da própria montadora.

O presidente da companhia falou ainda sobre a provável recuperação do mercado de automóveis do País em 2017: “Parece mesmo que chegamos ao fundo, ao pior momento. O ano que vem não será nenhum milagre. Acredito em alta de cerca de 5%”, projeta. O executivo tem esperança nessa pequena retomada como consequência da aparente definição do cenário político após o impeachment. “Mas ainda falta confiança, as pessoas estão com medo de perder o emprego”, afirma.

Powels falou também sobre a recente mudança que estendeu seu comando para toda a América do Sul. “Estamos transferindo 65 pessoas da Alemanha para a região. São 29 países, com 500 milhões de habitantes e vendas anuais de 4,4 milhões de veículos por ano.” Os quatro principais mercados do continente para a Volkswagen são Brasil, Argentina, Peru e Chile.



Tags: VW, Volkswagen, David Powels, automóveis, São Bernardo do Campo.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência