Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Para Anfavea, recuperação das vendas só acontece em 2017

Mercado | 04/08/2016 | 18h45

Para Anfavea, recuperação das vendas só acontece em 2017

Apesar da melhora em julho, volume foi o pior para o mês desde 2006

GIOVANNA RIATO, AB

A Anfavea, entidade que representa as montadoras, espera que as vendas de veículos se recuperem de forma consistente apenas ao longo de 2017. “Um crescimento mais robusto só vai acontecer quando a economia em geral melhorar”, avalia Antonio Megale, presidente da organização, que divulgou os dados dos primeiros sete meses do ano na quinta-feira, 4.

-Veja aqui os dados completos da Anfavea
-Leia também: Veja os resultados da indústria até julho

 O mercado subiu de patamar em julho em relação ao fraco resultado de julho. O mês foi o melhor de 2016 em licenciamentos, com 181,4 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, evolução de 5,6% sobre junho, mas baixa de 20,3% na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Ainda assim, a Anfavea, entidade que representa as montadoras, não entende o aumento como sinal de recuperação. “Ainda há incertezas na economia e na política. O volume pode ter sido impulsionado por fatores pontuais, como uma greve no Detran no fim de junho que atrasou alguns emplacamentos”,

A impressão do executivo é diferente da anunciada pela Fenabrave, entidade dos distribuidores de veículos, que já avalia a alta das vendas do mês passado como o início de uma mudança de cenário (leia aqui). A Anfavea lembra que em julho foi registrada a quarta expansão consecutiva do ano na comparação mensal. Apesar disso, a performance ainda foi a pior para o mês desde 2006.

No acumulado dos sete meses, as vendas somaram 1,16 milhão de unidades e enfim romperam a barreira do primeiro milhão, algo que costumava acontecer bem antes em anos anteriores. O volume é 24,7% menor do que o de janeiro a julho de 2015. Assim, gradualmente a queda acumulada em 2016 fica menor e o mercado começa a convergir para a projeção de vendas da Anfavea, que espera que sejam negociados 2,08 milhões de veículos até o fim do ano, com baixa de 19% sobre o resultado do ano passado. “Uma redução de 19% não é boa, mas é melhor do que a situação atual”, avalia.

Para alcançar o resultado previsto pela Anfavea, as montadoras precisarão vender mensalmente pelo menos 183 mil veículos por mês até o fim do ano. “Além do aumento da confiança do consumidor, é importante que os índices que mostram o medo de perder o emprego melhorem”, diz Megale. Segundo ele, a curva de vendas costuma ser inversamente proporcional a este indicador.

Sem a ameaça da demissão, o presidente da entidade acredita que pode acontecer aquecimento importante das vendas de veículos. Um dos indícios da demanda reprimida por trocar de carro ou simplesmente comprar um novo é o aquecimento do mercado de seminovos, que já cresceu 22% em 2016, conta Megale. “Por isso acreditamos em retomada em 2017”, reforça.

Assista abaixo a cobertura exclusiva da ABTV sobre o desempenho da indústria



Tags: Anfavea, vendas, veículos, Antonio Megale.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência