Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 25/07/2016 | 19h23

GM produz versão do Onix em São Caetano

Hatch novo e Prisma seguirão sendo fabricados só em Gravataí

PEDRO KUTNEY, AB

Texto atualizado e corrigido às 14h00 de 26/07

A General Motors aproveita o lançamento da versão renovada do Onix para terminar recente reorganização da produção de suas fábricas no Mercosul. A versão agora antiga do hatch vira carro de entrada da marca, no lugar que já foi do Celta, e será produzido pela primeira vez em São Caetano do Sul, no ABC paulista, segundo informações obtidas por Automotive Business e não confirmadas pela empresa até a edição desta matéria. Desde a sua primeira geração, em 2012, o Onix foi montado exclusivamente em Gravataí (RS). Serão feitos na planta gaúcha os novos Onix e sua configuração sedã Prisma, que chegam às concessionárias Chevrolet na próxima semana. Também continuará sendo fabricado em Gravataí o Prisma antigo, como opção mais barata para substituir o Classic, que sai de linha este ano.

Manter o Onix e Prisma de primeira geração em produção é um movimento estratégico para a GM sustentar sua liderança no mercado brasileiro. Com 68,5 mil unidades vendidas no primeiro semestre, em alta de 22,8% sobre o mesmo período de 2015, pelo segundo ano o Onix é o carro mais vendido do País e responsável por 43,5% das vendas da GM entre janeiro e junho deste ano. Já o Prisma figura em sétimo no ranking nacional e contribui com 19,8% dos emplacamentos. Ou seja, os dois modelos correspondem a mais da metade, 63,3%, do desempenho da montadora no Brasil. Com a chegada da nova geração e majoração dos preços, a montadora correria o risco de perder participação se não mantivesse a série antiga em produção – mesma estratégia já usada pelas principais fabricantes no País, como Volkswagen, Fiat e a própria GM, que lançam carros novos e mantêm os antigos no portfólio.

A chegada do Onix à planta de São Caetano também deve ajudar a reduzir a ociosidade e aumentar o grau de nacionalização de componentes da mais antiga linha de produção da GM no Brasil. Neste ano, a fabricante transferiu do ABC para a unidade na Argentina a montagem do Cruze – o modelo é feito com grande volume de peças importadas e isso atrapalhava a contabilidade da GM para abater o valor das compras nacionais da sobretaxação de 30 pontos de IPI imposta pelo Inovar-Auto. O Onix de entrada tende assim a ocupar com sobras o espaço deixado pelo Cruze em São Caetano e poderá conservar empregos na fábrica, que tem mais de mil trabalhadores afastados no momento.

NOVIDADES

Entre as novidades já divulgadas da segunda geração de Onix e Prisma, está uma reestilização do desenho externo com aplicação de novo conjunto óptico, incluindo lanternas e faróis redesenhados com uso de LED. Também foram feitas algumas modificações mecânicas para melhorar a sofrível eficiência dos modelos e assim deixar o fabricante mais próximo de atender as metas de redução de consumo do Inovar-Auto, que serão medidas este ano. Para isso foi adotada a direção elétrica, pneus co menor resistência ao rolamento, câmbio de seis marchas e os motores 1.0 e 1.4 receberam melhorias para ficar mais econômicos. A GM divulgou que com essas alterações o Onix ficou 18% mais econômico e o Prisma teve ganho de 22% sobre a geração anterior. O motor de três cilindros em desenvolvimento na GM ficou para depois.

Segundo já divulgado pela montadora, o novo Onix poderá vir equipado com a mais nova geração do sistema de conectividade MyLink, que espelha aplicações do smartphone na tela tátil, e também com o On Star, que oferece serviços on-line de navegação, segurança, emergência, concierge e um aplicativo que permite comandar funções do veículo pelo smartphone. A família também ganhou a versão aventureira Activ, com apliques plásticos em para-choques e para-lamas.

NOTA DA REDAÇÃO – O novo Onix foi apresentado à imprensa especializada na noite da segunda-feira, 25, mas Automotive Business não teve acesso ao carro e não poderá levar mais informações sobre ele aos seus leitores, porque o departamento de comunicação da GM avalia que este veículo de comunicação não é elegível para apresentar seus lançamentos de produtos. Os comunicados oficiais de imprensa (releases) que recebemos da empresa, entendemos, sozinhos são insuficientes para sustentar as reportagens que usualmente fazemos sobre lançamentos importantes como este. De nossa parte, é fundamental continuar a manter a independência editorial que lastreia a credibilidade das informações que publicamos, por isso não reproduzimos aqui releases de lançamentos de automóveis que já foram demonstrados de maneira presencial a outros meios de comunicação, pois isso seria publicar algo de qualidade inferior e sem senso crítico.



Tags: General Motors, GM, Onix, Prisma, fábrica, produção, São Caetano do Sul, Gravataí.

Comentários

  • José Roberto

    Infelizmente a GM perdeu uma excelente chance de divulgar seu novo produto nesta conceitudada revista que conta com muitos leitores que gostariam, por que não, de saber também de veículos de passeio.

  • Vinicius Tumoe

    Parabéns à equipe da redação de Automotive Business por esclarecer aos seus leitores sobre os motivos de não repercutir um release. Até quando montadoras vão levar adiante tanta seletividade e ficar de "mimimi", cheias de melindre? No fim das contas quem perde são eles e os leitores de AB, que deixam de saber sobre o carro mais vendido por picuinha alheia. Lamentável! #EstamosdeOlho

  • Antonio

    Parabéns a GM pelo trabalho e esforço geral da empresa para driblar a crise,, desde novos lançamentos, negociações com empregados, foco em venda, venda,,,propaganda constante nas melhores mídias,,,,(alguns n?o muito no estilo dos brasileiros, com comparações sem muito sentido) mas neste momento vale tudo.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência