Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 13/07/2016 | 18h45

Volkswagen Voyage chega aos 35 anos

Modelo lançado em 1981 acumula mais de 1 milhão de unidades vendidas

REDAÇÃO AB

O Volkswagen Voyage chegou aos 35 anos. O sedã foi lançado em julho de 1981, no ano seguinte à apresentação do Gol, e acumula mais de 1 milhão de unidades vendidas até os dias atuais. Oferecido no início apenas com duas portas, o carro utilizava motor 1.5 a gasolina ou álcool e tinha câmbio de quatro marchas.

Como o Gol, o Voyage foi projetado e desenvolvido no Brasil e teve mais de 410 mil unidades exportadas para 61 países. Hoje ele é o quinto sedã pequeno mais vendido, com 12.132 unidades emplacadas no Brasil no primeiro semestre. Como comparação, o Chevrolet Prisma, líder do segmento, teve 31,2 mil unidades emplacadas. No ranking geral ele ocupa a e 20ª colocação.

Sua produção teve início na fábrica de São Bernardo do Campo, que montou 340.891 unidades do carro em dois períodos: de 1981 a 1987 e entre 1990 e 1996. Nos anos de 1988 e 1989 o carro foi montado na fábrica de Taubaté (SP). E desde 2008 é produzido exclusivamente nessa unidade, na mesma de onde sai o Gol.

Nas versões para exportação, o Voyage é vendido com este mesmo nome na Argentina, onde também já foi vendido com o nome Gacel. Nos demais países da América do Sul, América Central e México ele é conhecido como Gol Sedan. Nos Estados Unidos e no Canadá, para onde foi embarcado durante um período de sete anos (de 1987 a 1993), ele se chamava Fox (o atual modelo com este nome ainda não existia) e somou mais 202 mil unidades comercializadas.

Na ocasião, o Voyage exportado recebia cerca de 2 mil modificações, como injeção eletrônica em vez de carburador e reforços estruturais. Atualmente, o Voyage é exportado para Argentina, México, Bolívia, Chile, Colômbia, Peru, Paraguai e Uruguai. Entre os 61 países para onde o Voyage já foi embarcado estão Egito, Haiti, Libéria, Bahamas, Angola e Jordânia.

Em 2008, com nova plataforma e desenvolvido simultaneamente com a quinta geração do Gol, o Voyage retornou ao mercado com motor transversal, maior espaço interno e motores Total Flex 1.0 e 1.6.

PRINCIPAIS MOMENTOS DO MODELO:

1981 – Lançamento do sedã, com duas portas, e motor 1.5 refrigerado a água (o mesmo usado no VW Passat) a álcool ou gasolina;

1982 – Início da fabricação simultânea na Argentina, onde recebia o nome Gacel. Começava também a exportação para países da América do Sul com os nomes Senda e Amazon;

1983 – Motor passa de 1.5 para 1.6;

1984 – Lançamento da opção quatro portas. Série especial Los Angeles, homenagem aos Jogos Olímpicos realizados nos Estados Unidos, tinha pintura azul metálica, bancos Recaro e aerofólio traseiro. Câmbio de cinco marchas torna-se opcional;

1985 – Modelo passa a utilizar os motores AP (Alta Performance) 1.6 e 1.8;

1987 – Início das exportações para os Estados Unidos, juntamente com a Parati. Durante sete anos, o Voyage, teve 202.062 unidades exportadas para os EUA. Para atender às exigências legais e do mercado americano, o modelo recebeu cerca de 2 mil modificações;

1990 – Comemoração de 600 mil unidades produzidas no Brasil;

1996 – A produção do Voyage é encerrada e o carro dá lugar ao Polo Classic, um modelo derivado do mesmo projeto do Seat Cordoba;

2008 – Voyage volta ao mercado após 12 anos. Desenvolvido juntamente com a quinta geração do Gol, o carro recebeu motores transversais 1.0 ou 1.6;

2009 – VW lança opção I-Motion, com câmbio automatizado;

2012 – Sedã alcança o marco de 1 milhão de unidades produzidas no Brasil;

2016 – Modelo passa por atualização de estilo e troca o motor 1.0 de quatro cilindros EA 111 pelo EA 211, de três cilindros.



Tags: Volkswagen, VW, Voyage, Gol, Gacel, Gol Sedan, Total Flex, Senda, Amazon.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência