Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Lexus traz nova geração do modelo RX 350

Lançamentos | 06/07/2016 | 11h53

Lexus traz nova geração do modelo RX 350

Utilitário esportivo importado do Japão tem preço inicial de R$ 337.350

MÁRIO CURCIO, AB | De Ilhabela (SP)

Reportagem atualizada em 7/7/2016

A Lexus começa a vender no Brasil a quarta geração do utilitário esportivo RX 350. Apresentado em 2015, o modelo vem de Kyushu (Japão) e está disponível em duas versões, a de entrada por R$ 337.350 e a F-Sport, mais completa, por R$ 352.950. “Até o fim do ano serão cerca de 100 unidades emplacadas”, afirma o vice-presidente da Lexus Brasil, Miguel Fonseca.

Com o carro, a marca pretende alcançar 700 veículos vendidos em 2016. Diferentemente do mercado premium, que recuou cerca de 25%, a Lexus vem ganhando espaço porque abriu oito pontos de venda dentro de concessionárias Toyota em cerca de um ano: “Crescemos 13% de janeiro a maio e hoje estamos presentes em 80% das grandes áreas com potencial de venda para o mercado de luxo”, diz Fonseca. O Lexus mais vendido no Brasil é o NX 200t, também um SUV (leia aqui).

Os dois juntos responderão por cerca de 70% das entregas da marca. “O restante ficará concentrado no CT 200, que teve os preços reposicionados e foi beneficiado pela nova legislação para modelos híbridos”, recorda o executivo. Quando abriu no Brasil em 2012 sua primeira concessionária exclusiva, a Lexus também trouxe o RX 350, mas antes disso já era possível ver algumas unidades circulando no País por causa de importações independentes vindas dos Estados Unidos, onde carro tem boa aceitação. Os EUA consomem unidades produzidas no Canadá.

Lexus
Lexus espera emplacar 100 unidades do novo RX 350 até o fim de 2016. Quadro de instrumentos da versão F-Sport utiliza tela de cristal líquido.

No Brasil, a montagem de modelos Lexus não deve ocorrer tão cedo pelos baixos volumes atuais. Os executivos justificam a dificuldade de abrir uma linha de montagem local pela tradição da marca e por toda a preparação necessária aos takumis, os “operários-artesãos” da Lexus, mas a verdade é que o mercado brasileiro como está atualmente não permite nem mesmo a abertura de uma concessionária exclusiva Lexus e completa, com oficina e tudo o mais.

Os serviços de pós-venda da loja da Rua Colômbia, na cidade de São Paulo, são feitos em uma concessionária Toyota no ABC. E os demais pontos de venda Lexus no Brasil estão em concessionários Toyota de outras capitais nas cidades de São José do Rio Preto e Campinas, ambas no Estado de São Paulo.

MOTORIZAÇÃO E EQUIPAMENTOS

O RX 350 tem tração 4x4 permanente com controle eletrônico e um motorzão 3.5 V6 a gasolina que produz 305 cavalos. A transmissão automática tem oito velocidades e resulta em respostas muito rápidas, mas a fabricante não informa aceleração de zero a 100 km/h nem velocidade máxima. Apenas que o consumo em uso misto (cidade-estrada) é de 8,5 km/litro.

O comportamento do carro em curvas é excepcional, ajudado por recursos como o AVS, sigla em inglês para Suspensão Adaptativa Variável. Outros auxílios eletrônicos vêm do assistente de frenagens de emergência, dos controles de tração e estabilidade e do assistente de partida em rampa.

O acabamento interno tem a opção de couro preto ou vermelho. Os bancos dianteiros têm grandes apoios lateria e seguram bem o corpo em curvas. A versão F-Sport conta com itens extras como head-up display (que projeta a velocidade e outras informações no painel), aletas para trocas de marcha atrás do volante e quadro de instrumentos com tela de cristal líquido que indica a atuação do sistema 4x4 e também um acelerômetro que mostra as forças que atuam sobre o carro em curvas, frenagens e arrancadas.

A tela de 12 polegadas da central multimídia destoa do desenho interno por estar encaixada sobre o painel, mas facilita demais a visualização das informações e a seleção das funções. Em relação à geração anterior, o novo RX 350 está 12 centímetros maior e mede agora 4,89 metros. A distância entre eixos ganhou 5 cm a mais e tem agora 2,79 m. Em regra, quanto maior essa medida, maior o conforto no banco traseiro. E o RX não decepciona nesse ponto. Há espaço de sobra para os joelhos e é possível reclinar o encosto. O porta-malas tem agora 521 litros, 61 l a mais.

Faz falta no modelo o sistema start-stop, que ajudaria a reduzir consumo e emissão de gás carbônico. E as borboletas do câmbio deveriam fazer parte do pacote de entrada. São dois pecados que não combinam com um automóvel de mais de R$ 300 mil.

Lexus
Bancos dianteiros seguram bem o corpo em curvas e têm ajustes elétricos para motorista e passageiro.



Tags: Lexus, RX 350, NX 200T, CT 200, Toyota, Miguel Fonseca.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência