Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Vendas de consórcios caem 14% no 1º quadrimestre

Mercado | 09/06/2016 | 17h32

Vendas de consórcios caem 14% no 1º quadrimestre

Volume fica em 609,2 mil novas cotas contra as 708,3 mil do ano anterior

REDAÇÃO AB

As vendas de novas cotas de consórcios para adquirir veículos tiveram queda de 14% no primeiro quadrimestre ao totalizar 609,2 mil unidades contra as 708,3 mil cotas vendidas em mesmo período do ano passado, segundo balanço divulgado na quinta-feira, 9, pela Abac, associação que reúne as administradoras do setor. Os números incluem os dados de leves, pesados e motocicletas.

Embora o número de participantes tenha ficado estável, em 6,25 milhões de consorciados no fechamento do período, as contemplações reduziram 2,4%, passando de 449,8 mil no primeiro quadrimestre de 2015 para 439 mil neste ano. O volume de crédito disponível pelo segmento no acumulado ficou 1,6% acima do verificado há um ano, para R$ 11,5 bilhões. Segundo a Abac, a retração nos demais indicadores ainda são reflexo da crise econômica que afeta a decisão de consumidores em fazer sua adesão em compromissos de médio e longo prazo, como os consórcios de veículos.

Por segmento, o de leves que inclui automóveis e comerciais leves, teve contração de 6,5% nas vendas de novas cotas, para 297,3 mil unidades no acumulado do ano até abril sobre as 318 mil de um ano antes. Contudo, o número de participantes ativos cresceu 6,6%, para 3,25 milhões. O tíquete médio (valor médio da cota no mês) ficou mais barato ao reduzir seu valor em 9,9%, para R$ 39 mil, também no comparativo anual. O número de participantes contemplados chegou a 182 mil nos quatro primeiros meses do ano, 7,7% a mais do que o volume registrado há um ano.

No de pesados – caminhões, ônibus, implementos e tratores – também cresceu o número de participantes, para 284,3 mil consorciados, aumento de 7,4% sobre os 264,6 mil dos primeiros quatro meses do ano passado, apesar das vendas 17,5% menores de novas cotas, com 11,8 mil unidades. Já o número de contemplações ficou estável em 10,9 mil, bem como o equivalente em créditos concedidos, de R$ 1,52 bilhão, reflexo do crescente volume de adesões ocorrido em anos passados. O tíquete médio para pesados também diminui, 7,2%, para R$ 148,8 mil.

O setor de duas rodas encerrou o primeiro quadrimestre com reduções em todos os indicadores do sistema de consórcio. Segundo a Abac, a razão dessas retrações foi a constante perda de novas adesões, especialmente nas regiões onde vinham apresentando crescimento em períodos anteriores. Paralelamente, o setor vivencia há mais de um ano com menos concessionárias atuando no País.

O volume de vendas de novas cotas caiu mais de 20%, para 2,73 milhões de unidades. O segmento, que é o segundo maior dentro do sistema de consórcios em número de participantes, hoje em 2,73 milhões de consorciados, apresentou contemplações 8,9% menores no período acumulado entre janeiro e abril, para pouco mais de 246,1 mil. O valor do tíquete médio ficou menor em 31,9%, passando de R$ 11,3 mil para R$ 7,7 mil. O total de crédito disponível para o segmento encolheu 10,3% em um ano, de R$ 2,92 bilhões para R$ 2,62 bilhões.



Tags: Consórcios, Abac, vendas, cotas.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência