Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Lançamentos | 20/05/2016 | 15h42

Sentra 2017 recebe câmbio CVT de série

Modelo Nissan recebeu nova dianteira e mais recursos eletrônicos

MÁRIO CURCIO, AB | De Guararema (SP)

Com nova dianteira, mudanças no interior e mais recursos eletrônicos, o sedã Sentra 2017 já está à venda na rede Nissan. O terceiro sedã médio mais vendido no Brasil agora traz câmbio automático CVT como item de série desde a versão S, a mais acessível, que tem preço sugerido de R$ 79.990.

A montadora, que patrocina os Jogos Olímpicos, acredita que o Sentra vai segurar o lugar no pódio e manterá a medalha de bronze até o fim do ano, apesar da renovação que o Chevrolet Cruze (atual quinto colocado) receberá em algumas semanas. “O que entendemos é que nossos concorrentes devem vir com preços mais altos”, afirma a gerente de produto Juliana Fukuda, referindo-se ao Cruze e também à nova geração do Honda Civic. O Honda, porém, é medalha de prata e não largará o osso, já que mantinha até o início de maio uma vantagem de mais de 2 mil unidades sobre o Sentra, apesar da mudança iminente de geração. Cabe dizer que o líder Corolla tinha até o fim de abril uma vantagem de mais de 15 mil carros sobre o vice.


Linha 2017 do Sentra recebeu novos desenhos de roda. As lanternas traseiras mantiveram o formato externo, mas não têm mais aquele pontilhado de LEDs aparente. O banco do motorista do SL tem agora ajustes elétricos.

É na base do custo-benefício e do aumento da visibilidade que a marca espera atingir 3% do mercado nacional até o fim do ano fiscal de 2016 (que termina em 31 de março de 2017). A Nissan já começa a colher os resultados da grande campanha publicitária que vem atrelando aos Jogos Olímpicos: “Muitos já fizeram consultas sobre o carro (novo Sentra) assim que o viram na TV. O fluxo nas lojas também aumentou”, afirma o vice-presidente de vendas e marketing, Ronaldo Znidarsis.

No entanto, nem ele nem Juliana arriscam uma estimativa de vendas para o carro, seja pelo fraco desempenho atual do mercado brasileiro, seja pela mudança de governo.

O Sentra manteve seu motor 2.0 flex com 140 cavalos e a transmissão CVT também é a mesma que já equipava o carro a partir de versões intermediárias. Com ela é possível andar a 120 km/h enquanto o motor gira mansinho ali na frente, a cerca de 2 mil rpm. E nesta nova geração a Nissan reduziu o nível de ruído interno aumentando a quantidade de materiais fonoabsorventes.

Toda a linha 2017 recebe o sistema VDC de controle dinâmico do veículo, que atua em conjunto com o sistema ABS e o acelerador para evitar saídas de frente ou de traseira em piso escorregadio. Chave presencial com partida por botão, rodas de liga leve, controles no volante, Isofix e Latch (ambos para utilização mais prática e segura de cadeirinhas infantis), alarme, sensor de estacionamento traseiro e acendimento automático dos faróis também fazer parte da linha 2017 desde a versão S, que no entanto peca por não ter controlador automático de velocidade.

Esse item aparece na opção intermediária SV, que tem preço sugerido de R$ 84.990 e recebe ainda ar-condicionado automático com duas zonas de temperatura, bancos de couro, apoia-braço central traseiro e traz como novidades central multimídia Nissan Connect, câmera de ré e rodas de liga leve de 17 polegadas, entre outros itens.

O topo de linha Sentra SL tem preço sugerido de R$ 95.990 e recebe teto solar, retrovisores com rebatimento elétrico, seis airbags e passa a ter na linha 2017 faróis de LEDs, banco do motorista com ajustes elétricos, som Bose com oito alto-falantes, quadro de instrumentos com novo display digital e alertas para colisão frontal, para pontos cegos laterais e para tráfego cruzado traseiro.

Este último sinaliza, por exemplo, a aproximação de um veículo por uma das laterais quando o motorista do Sentra SL está saindo de ré de uma garagem ou vaga de estacionamento.

O Sentra é importado do México. Até abril o carro teve 3,4 mil unidades vendidas. O volume é 29,6% menor que o do mesmo período de 2015 por causa da retração de mercado e também pela espera do carro atualizado. A Nissan acredita que 70% das vendas vão se concentrar na versão SV, intermediária. O carro de entrada, Sentra S, deve ficar com somente 10% do total.

"TIOZÕES" DETÊM 7% DO MERCADO BRASILEIRO

O segmento de sedãs médios vem apresentando vendas acima de 5% do total do mercado brasileiro nos últimos cinco anos e terminou 2015 com 7,1%. Se esses modelos ganharam a fama de carros típicos de “tiozão”, também é verdade que seus consumidores quase sempre têm dinheiro no bolso e sabem o que querem: conforto, qualidade e bom desempenho.

O Sentra entrega tudo isso. Já era um carro muito bom de guiar e manteve essa qualidade na linha 2017. Na estrada é um sossego, quebrado apenas quando o motorista afunda o pé no acelerador para uma ultrapassagem. Dá para perceber a boa qualidade geral até pela recepção do rádio desde a versão S.

O espaço para as pernas no banco traseiro é generoso, assim como o porta-malas para 503 litros. A alavanca de câmbio traz o botãozinho Overdrive, que cumpre sua função apesar do jeitão anacrônico e melhora a agilidade do carro em trechos de serra, por exemplo. O Sentra também transmite muita segurança mesmo quando o motorista entra mais quente em curvas.

Segundo a Nissan, o carro acelera de zero a 100 km/h em 10,1 segundos e alcança 186 km/h de velocidade máxima. Utilizando etanol o consumo informado é de 6,9 km/l na cidade e 9,1 km/l na estrada. Com gasolina ele faz 10,2 km/l em uso urbano e 12,9 km/l em rodovia.



Tags: Sentra, Nissan, Jogos Olímpicos, CVT, Chevrolet Cruze, Honda Civic, Ronaldo Znidarsis, Juliana Fukuda.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência