Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Iveco fecha lacunas com linha 2017

Comerciais | 12/04/2016 | 19h00

Iveco fecha lacunas com linha 2017

Montadora amplia oferta de caminhões para ganhar participação de mercado

PEDRO KUTNEY, AB

Com o objetivo de fechar algumas lacunas de mercado em que não atuava, a Iveco ajustou seu portfólio na linha 2017, com o lançamento de novas configurações de caminhões que devem chegar ao mercado nos próximos dois meses. A marca de veículos comerciais do grupo CNH Industrial tentará ampliar sua participação no País com a introdução de mais um membro na família Daily de semileves, três novas versões do semipesado Tector, que ganha também opções vocacionais para coleta de lixo e aplicações no setor de construção, e os pesados Stralis e Hi-Way passaram por recalibração da motorização, com ganho de torque e redução de consumo.

Os lançamentos consomem boa parte da fase final do programa de investimento da Iveco no Brasil, que totaliza R$ 650 milhões entre 2014 e 2016 e inclui, além do desenvolvimento de produtos, a modernização da fábrica de Sete Lagoas (MG) e nacionalização de componentes. “Apesar da retração em torno de 60% das vendas nos últimos dois anos, mantivemos todos os planos porque acreditamos que o nível atual do mercado brasileiro não é o adequado. O crescimento vai voltar e precisamos estar preparados”, afirmou Marco Borba, vice-presidente da Iveco América Latina. “Conseguimos no último ano ajustar os estoques e temos uma condição melhor do que os concorrentes, por isso podemos lançar agora a linha 2017”, completou. “Adotamos nos últimos anos um movimento pela excelência, um modelo de gerenciamento para ampliar a competitividade em todas as áreas.”

“O cliente percebeu que nossa qualidade aumentou e nós entramos no programa de renovação de vários frotistas”, afirma o diretor comercial Osmar Hirashiki. Os ajustes na engenharia e na produção também serviram para aumentar a competitividade externa da operação brasileira da Iveco: na mão contrária do mercado doméstico, em 2015 as exportações cresceram 53% na comparação com 2014, com aumento das vendas na Argentina, Chile, Colômbia e Costa Rica. “O produto brasileiro alcançou um patamar diferenciado que não tinha antes”, diz Borba.

NOVAS OFERTAS

Segundo o diretor de marketing Ricardo Barion, o portfólio foi ajustado após uma pesquisa conduzida junto a clientes e rede, dentro da estratégia de aproximar a marca do consumidor para voltar a ganhar mercado. “Os lançamentos de agora e os que ainda vamos fazer vão no sentido de ampliar as vendas com a oferta de mais opções, com o objetivo de conquistar até o ano que vem o market share de dois dígitos”, diz Barion. A Iveco fechou 2015 perto de seu nível histórico de participação no Brasil, 6,3% com 4,5 mil unidades emplacadas, em retração de 40,7% sobre 2014. No primeiro trimestre deste ano o percentual caiu um ponto, para 5,3% e 687 caminhões vendidos, o que a fabricante espera recuperar com novos modelos à disposição. Até o fim do ano vamos ter uma participação compatível com o tamanho da marca”, aposta Hirashiki.


Novo chassi-cabine Daily 40S14, com 4 toneladas de PBT pelo mesmo preço da versão de 3,5 toneladas

As novidades no portfólio começam pela introdução de mais uma versão chassi-cabine na família de semileves Daily, segmento que representa 20% do mercado de caminhões no Brasil e que a Iveco lidera com market share de 35,5%, o que representa mais da metade da participação da marca no País. A linha passa a contar com uma opção chassi-cabine de 4 toneladas de peso bruto total, denominada 40S14, que será vendida pelo mesmo preço e motor de 146 cavalos da 35S14, de 3,5 toneladas. “O objetivo é oferecer uma opção para transportar mais carga (até 1.860 kg) com o mesmo custo de aquisição, para clientes que fazem entregas urbanas em cidades onde é permitida a circulação de veículos com essa capacidade”, explica Barion.

O maior número de lançamentos é feito na linha Tector de semipesados, de 17 a 30 toneladas de PBT, faixa que representa 28% do total do mercado brasileiro e que a Iveco detém quase 7%. O fabricante vai oferecer três novos Tector com tração 4x2, 6x2 e 8x2. No segmento de 17 toneladas e tração 4x2, foi desenvolvida a versão inédita 170E21, com a qual a Iveco promete “o maior torque da categoria”. A principal novidade do modelo é o motor FPT 4.5 de quatro cilindros, com 206 cavalos e 720 Nm de torque. Com o uso da motorização menor, a capacidade de carga cresceu em cerca de 150 kg com a redução de peso do veículo. Também houve ganho de conforto com a nova suspensão de cabine coxim/mola, no lugar de coxim/coxim. Para reduzir o esforço nas trocas de marcha, que podem chegar a 2 mil por dia em uso urbano, foi introduzido o sistema de cabo em substituição ao antigo varão.

No segmento 6x2, a Iveco lança agora o Tector 240E30, equipado com o novo motor FPT de seis cilindros que teve a capacidade volumétrica aumentada de 5,9 para 6,7 litros, o que elevou o torque de 950 para 1.050 Nm e 300 cavalos de potência. A ideia foi tornar o caminhão mais ágil com redução de consumo de combustível, levando em conta que a aplicação desse tipo de veículo é predominantemente rodoviário em mais de 80% dos casos.


Tector com tração 8x2: capacidade de carga aumentada em 6 toneladas

A nova opção 8x2 do Tector será oferecida nas versões 310E28 e 310E30, ambas equipadas com quarto eixo direcional e, com isso, capacidade de carga aumentada em cerca de 6 toneladas. Segundo a Iveco, a ideia é atender os clientes que, depois da lei do motorista, precisam levar mais carga dentro do mesmo período de trabalho.

A linha também ganhou opções adaptadas para aplicações especiais, que representam 29% de participação no segmento de semipesados. Estão em testes com clientes o modelo Tector Coleta 170E28, para a coleta de lixo, e duas versões 8x4 do Tector Construção 260E30, para uso com caçamba basculante ou betoneira.

Chama a atenção a ausência de versões com câmbio automatizado na nova linha Iveco, uma tendência já adotada pela maioria dos fabricantes de caminhões no País. “Sabemos que estamos um pouco atrasados na oferta de automatizados, mas estamos trabalhando nisso e devemos ter novidades até o fim do ano”, informou Barion.

MAIS EFICIÊNCIA NOS PESADOS


O Hi-Way de 440 cavalos ganhou mais torque

No segmento de pesados, 21% do mercado nacional em que a Iveco participa com 6%, o foco foi em melhorar a eficiência. A partir de pesquisas realizadas com os clientes, a montadora introduziu algumas evoluções na motorização dos modelos Stralis 440 e Hi-Way 440 e 480. A FPT Industrial, do mesmo grupo CNH Industrial, desenvolveu um pacote de modificações técnicas para aumentar o torque e a economia de combustível. “Nessa faixa já éramos reconhecidos pelo conforto e dirigibilidade e precisávamos oferecer melhor consumo e desempenho, por isso fizemos as modificações”, explica Barion. “Fizemos testes com sete clientes e conseguimos economia média de 10% em relação ao modelo anterior”, acrescenta.

As mudanças envolvem a adoção de novo turbocompressor (com tempo de resposta duas vezes mais rápida, segundo a Iveco), coletor de escape, volante do motor e aumento da eficiência do sistema de arrefecimento, além de recalibração geral de motor e caixa de câmbio. As alterações não aumentaram a potência, mas elevaram o torque, no caso do motor de 440 cavalos de 2.100 para 2.250 Nm e para o 480 cavalos de 2.250 para 2.400 Nm, na faixa entre 1.000 e 1.500 rpm, resultando em retomadas mais eficientes e menor tempo médio de viagem.

Outra mudança dos modelos Stralis e Hi-Way está nas versões 4x2 e 6x2, que receberam uma nova geração de eixo trativo, o MS 18X da Meritor, com coroa e pinhão forjados, além do uso de solda a laser para a fixação das peças internas, o que amplia a resistência do conjunto e aumenta a vida útil dos componentes.

Assista abaixo a entrevista exclusiva de Ricardo Barion à ABTV:



Tags: Iveco, linha 2017, lançamento, comerciais, caminhões, CNH Industrial.

Comentários

  • marcelo

    bom dia por favor gostaria de ter informações se o modelo da cabine do daily 35s14 esta para mudar aqui no brasil... é o mesmo modelo desde 2008... mt obrigado

  • luiz avellar

    Chama a atenção a ausência de versões com câmbio automatizado na nova linha Iveco, uma tendência já adotada pela maioria dos fabricantes de caminhões no País. “Sabemos que estamos um pouco atrasados na oferta de automatizados, mas estamos trabalhando nisso e devemos ter novidades até o fim do ano”, informou Barion. JA SE PASSOU MAIS DE UMA ANO E CADE OS CAMBIO AUTOMATIZADOS PARA OS CAMINHÕES SEMI PESADO SERA QUE IRA SER LANÇADO JUNTO DE NOVOS LANÇAMENTOS AINDA ESTE ANO NA FENATRAN 2017...........

  • karlson rocha silveira

    A iveco já deveria ter lançado a sua CAMINHONETE , tipo ranger, s-10 ) e uma fiat-strada. esse setor de caminhonetes de médio e pequeno porte, vende muito.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência