Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Internacional | 11/04/2016 | 16h24

Mercosul e UE se encontrarão em maio para negociar livre comércio

Representantes farão propostas e especificações visando abertura comercial

REDAÇÃO AB

Está marcada para a segunda semana de maio em data ainda a ser definida o encontro entre os representantes do Mercosul e da União Europeia (UE)para as negociações de acesso ao mercado com vistas ao acordo de livre comércio entre os blocos. A previsão foi anunciada na última sexta-feira, 8, pela comissária de comércio da UE, Cecilia Malmström, e o ministro das relações exteriores do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa, cujo país exerce a presidência na representação do Mercosul. Eles acertaram também um calendário de reuniões ao longo do ano.

Em comunicado divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as equipes farão suas propostas de ofertas de acesso a mercado, especificando as formas de aumentar a abertura comercial mútua de bens e serviços, incluindo compras governamentais. O objetivo é negociar um acordo de comércio global, reduzindo impostos alfandegários, removendo barreiras ao comércio de serviços e aprimorar as regras relacionadas a compras governamentais, procedimentos alfandegários, barreiras técnicas ao comércio e proteção à propriedade intelectual.

“Esta é uma agenda prioritária para o Brasil. Estamos reposicionando nossa política comercial, e a principal iniciativa reside na conclusão do acordo Mercosul e a União Europeia. A perspectiva do acordo preferencial de comércio entre os dois blocos oferece excelentes oportunidades. Temos a compreensão que esse passo será essencial para o nosso processo de inserção mais qualificada nas cadeias globais de valor e para uma integração mais efetiva às correntes de comércio internacionais”, afirmou em nota o ministro do MDIC, Armando Monteiro.

“A Europa tem forte laços econômicos e políticos com a América Latina. A melhora das condições de comércio entre a UE e os países do Mercosul trará importantes ganhos econômicos para todos os países. Os dois lados estão comprometidos, então eu acredito que a troca de ofertas permitirá que encerremos com sucesso essa longa negociação”, declarou Cecilia em nota.

HISTÓRICO

As negociações entre a UE e o Mercosul se iniciaram em 1999. Após uma troca de ofertas malsucedida em 2004, elas foram interrompidas por seis anos. Desde a retomada das conversas, em 2010, nove rodadas de negociação foram realizadas prevendo uma nova troca de ofertas, o que ainda não aconteceu.

Em janeiro de 2015, em reunião com o com o embaixador da Bélgica no Brasil, Josef Smets, o ministro do MDIC reafirmou que a posição do governo brasileiro era a de avançar nas negociações do acordo comercial entre os dois blocos. “Conseguimos evoluir no Mercosul, com convergência entre os países-membros, e estamos prontos para avançar com a apresentação de uma oferta para concluir as negociações. Hoje, esta é uma posição de governo no Brasil. Aguardamos também uma oferta da União Europeia para prosseguir. Fechar este acordo irá fortalecer o Mercosul”, disse na ocasião.

Em junho do ano passado, Monteiro foi a Bruxelas onde se reuniu com a comissária europeia Cecilia e com demais representantes do Mercosul. Em comunicado conjunto divulgado à época, Mercosul e UE reafirmaram a “importância de aprofundar e ampliar a relação entre os dois blocos e, para esse fim, realizaram uma troca franca e aberta de pontos de vista sobre o estado das negociações para um acordo de associação ambicioso, abrangente e equilibrado”.

Já em agosto do mesmo ano, o ministro participou da reunião da presidente Dilma Rousseff com a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, no Palácio do Planalto, em Brasília. Na ocasião, Monteiro avaliou que a conclusão do acordo Mercosul-União Europeia dependia, fundamentalmente, do Brasil e da Alemanha. “Pela importância da Alemanha e, sobretudo, pelo iminente acordo, ou pelo menos o início da troca de ofertas com a União Europeia, eu diria que esse acordo Mercosul-União Europeia depende fundamentalmente de dois parceiros, o Brasil, pelo protagonismo no Mercosul, e a Alemanha, pelo extraordinário peso que a economia alemã tem na União Europeia”, disse.

Em outubro, o tema foi tratado pelo ministro na reunião do Comitê Econômico e Comércio Conjunto entre Reino Unido e Brasil (Jetco) realizada em Londres. Os países trocaram impressões sobre as negociações comerciais e sobre as estratégias de exportação, além da pauta sobre a troca de ofertas entre Mercosul e União Europeia.

INTERCÂMBIO COMERCIAL

Em 2015, as exportações brasileiras para a União Europeia alcançaram a cifra de US$ 33,9 bilhões, 19,3% a menos que no ano anterior, quando esse valor foi de US$ 42 bilhões. Com isso a participação da UE nas exportações brasileiras caiu de 18,7% em 2014 para 17,8% em 2015. A pauta das exportações brasileiras para a UE é composta, principalmente por produtos básicos (48,3%). Os semimanufaturados representam 16,1% e os semimanufaturados, 35,1%.

Os principais produtos exportados para a EU em 2015 foram farelo de soja, com participação de 9,8% do total das exportações para o bloco; café em grãos (8,5%), minério de ferro (6,6%), soja em grãos (6,4%) e celulose (6,3%).

Na via contrária, as importações brasileiras da UE foram de US$ 36,6 bilhões em 2015, com queda de 21,6% sobre o valor importado em 2014, de US$46,7 bilhões. A participação da UE nas importações brasileiras elevou-se de 20,4% para 21,4%. No ano passado, o Brasil importou da UE principalmente manufaturados (95,2%), enquanto os semimanufaturados representaram 3,1% e os básicos 1,7%.

Os principais produtos importados da UE foram medicamentos p/ medicina humana e veterinária, com participação de 8,5% do total das compras brasileiras do bloco; autopeças (4,6%), compostos heterocíclicos (3,3%); inseticidas, formicidas e herbicidas (3%) e automóveis (2,8%).



Tags: Mercosul, União Europeia, UE, livre comércio.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência