Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Ociosidade em pesados ultrapassa 81% no 1º trimestre

Comerciais | 06/04/2016 | 18h28

Ociosidade em pesados ultrapassa 81% no 1º trimestre

Produção de caminhões recua 35% e a de ônibus, 43%, aponta Anfavea

SUELI REIS, AB

A ociosidade na produção de veículos comerciais pesados atingiu 81,6% no primeiro trimestre, segundo dados de desempenho do setor divulgados na quarta-feira, 6, pela Anfavea. Isso significa que as linhas de montagem de caminhões e ônibus no Brasil utilizaram apenas 18,4% de sua capacidade, que é de 422 mil unidades por ano. Em 2015, o segmento encerrou com ociosidade de 74% (leia aqui).

Com isso, a produção de pesados no País recuou 35,2% no caso de caminhões ao passar de 23,3 mil para 15,1 mil unidades nos três primeiros meses de 2016 na comparação com mesmo intervalo do ano passado. Em chassis de ônibus, a queda chegou a 43,5%, para apenas 4,3 mil unidades.

-Veja aqui os dados da Anfavea.

Nos caminhões, a categoria de semipesados registrou o pior desempenho, com retração de 46,8% no acumulado, para quase 5 mil unidades contra as 9,3 mil de um ano atrás. Por outro lado, os semileves tiveram recuperação com aumento significativo de 77%, embora os volumes sejam pequenos: de 305 unidades de janeiro a março de 2015 para 540 unidades em iguais meses de 2016.

A baixa atividade da indústria ainda é reflexo do volume decadente dos emplacamentos, que no primeiro trimestre recuaram 32,1% para caminhões, cujo volume foi de 13,1 mil unidades nos três primeiros meses do ano. Contudo, chassis de ônibus seguem puxando para baixo o desempenho geral do setor de pesados: a queda chegou a 48% no período, com 2,7 mil unidades licenciadas contra as 5,2 mil de 2015.

Com o resultado do primeiro trimestre, a Anfavea confirma que fará uma revisão das projeções, mas sem mencionar quando (leia aqui). Por enquanto, a entidade mantém os números que apresentou no início de janeiro, quando previa um aumento de 12,8% da produção de pesados neste ano contra 2015, de 95,6 mil para 107,8 mil unidades, impulsionada pelas exportações, cujo crescimento é esperado para 12,4% na mesma base de comparação, para 31,7 mil unidades, em detrimento do mercado interno, cujas vendas de caminhões e ônibus não devem ultrapassar as 76,1 mil unidades, o que representaria queda de 13,9% sobre 2015, um ano cuja baixa já foi de 47,7% sobre o ano anterior.

Confira, em vídeo, o balanço dos resultados da indústria automotiva no 1º trimestre de 2016:



Tags: Anfavea, produção, caminhões, ônibus, ociosidade, veículos comerciais pesados.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência