Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Internacional | 17/03/2016 | 11h40

VW negocia compensação pelo dieselgate

Empresa bancaria fundos para uso de transporte sustentável e carros 'limpos'

REDAÇÃO AB

O Grupo VW negocia com as autoridades norte-americanas a criação de fundos de reparação aos danos pela fraude nas emissões de seus motores diesel EA 189, o escândalo dieselgate. A notícia é da agência Bloomberg. Um dos fundos seria administrado pela Agência de Proteção Ambiental (EPA) e empregado para favorecer o uso de transporte limpo em todos os Estados Unidos. O outro seria gerido pela Califórnia a fim de promover veículos com emissão zero naquele Estado.

Um acordo desse tipo poderia ajudar o Grupo VW a sanar parte do problema que afeta 11 milhões de veículos a diesel em todo o mundo. Na Califórnia, a montadora tem até o dia 24 de março para apresentar a solução técnica a ser aplicada em quase 600 mil veículos.

Segundo um analista da Bloomberg, as penalidades para quatro violações cometidas pelo grupo somente nos EUA podem totalizar até US$ 46 bilhões, o que teria levado à necessidade de negociar um acordo que fosse administrável.

As negociações para a solução dos problemas nos Estados Unidos só teriam começado a deslanchar nas últimas semanas. O executivo Francisco Javier Garcia Sanz, o mais antigo membro do conselho administrativo, assumiu o controle das conversações com a área técnica em dezembro.

A consolidação de uma ação civil do departamento de justiça incluiria os dois fundos e acordos de redução das emissões de óxido de nitrogênio dos veículos em circulação. Nas negociações realizadas até o momento, as autoridades americanas e da Califórnia insistem que os termos finais deem sempre aos consumidores o direito de vender seus carros de volta à Volkswagen se quiserem. Tal possibilidade seria admitida pelo grupo.

Segundo John German, vice-líder do Conselho Internacional de Transporte Limpo (ICCT), o governo americano pode exigir da VW para os carros que permanecerem em circulação a extensão de garantia e substituição dos catalisadores ou outros itens de controle de emissões a cada 40 mil quilômetros. O ICCT é a entidade sem fins lucrativos que, ao lado de pesquisadores da West Virginia University, ajudou a descobrir o software capaz de enganar a fiscalização e reduzir as emissões sempre que “percebe” um dispositivo conectado ao motor para análise de poluentes.

Ainda de acordo com a Bloomberg, houve progressos para a adoção de novos software e hardware de controle de motor a fim de reduzir as emissões, mas parece improvável que haja avanço em todas as questões técnicas a ser solucionadas até a próxima semana. “Não acreditamos que nenhuma das três gerações de tecnologias para os veículos com motor EA 189 2.0 possa ser reparada para atender os níveis de emissões certificados”, disse recentemente o chefe da divisão de fiscalização do conselho da Califórnia, Todd Sax.



Tags: VW, Volkswagen, EA 189, dieselgate, EPA, John German, ICCT.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência