Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Foton: chineses estudam investir R$ 200 milhões para nacionalizar SUVs

Negócios | 15/03/2016 | 18h20

Foton: chineses estudam investir R$ 200 milhões para nacionalizar SUVs

Produção aconteceria na fábrica que será construída em Guaíba (RS)

GIOVANNA RIATO, AB

A matriz da Foton na China estuda fazer investimento próprio no Brasil com o objetivo de produzir localmente as linhas de utilitários esportivos e de vans da marca. A operação aconteceria em parceria com a Foton Aumark do Brasil (FAB), empresa brasileira que tem os direitos de importação e produção da gama de caminhões leves da companhia. Dessa forma, todas as linhas ficariam concentradas na planta que a FAB deve começar a construir em Guaíba (RS).

“Seríamos nós e a Foton China no mercado nacional, da mesma forma como acontece com a Hyundai e a Caoa”, exemplifica Luiz Carlos Mendonça de Barros, presidente do conselho da companhia no Brasil, onde investe R$ 250 milhões na operação. Do total, R$ 160 milhões são para a construção da fábrica, que tem inauguração prevista para o início de 2017. O restante é aplicado no desenvolvimento e adaptação dos caminhões leves para as necessidades locais.

Mendonça de Barros confirma que a nacionalização das linhas de SUVs e de vans da marca chinesa demandará aporte adicional, mas afirma que o valor ainda não foi definido. “Estimamos que sejam necessários R$ 200 milhões para localizar a produção e adaptar os veículos ao gosto brasileiro”, revela. “Nós já recebemos os primeiros modelos para teste no Brasil. Faremos um trabalho de engenharia para adaptar às necessidades locais e acreditamos que dentro de dois anos eles já poderão ser feitos aqui”, calcula o executivo.

PLANO DE GLOBALIZAÇÃO

Apesar da indefinição sobre o investimento, Mendonça de Barros dá a produção dos novos produtos como certa. Na quinta-feira, 10, comunicado distribuído pela Foton Brasil confirmou o cronograma para a construção da planta em Guaíba e apontou que a fábrica abrigaria as linhas de montagem de vans e SUVs. Na ocasião a empresa anunciou ainda a parceria com a Agrale, que vai montar os caminhões da marca chinesa já neste ano até que a operação própria fique pronta (leia aqui).

Com a parceria, a empresa antecipa a nacionalização dos caminhões e ameniza o peso da valorização do dólar. Além disso, a estratégia é necessária para que a companhia cumpra o compromisso firmado com o governo brasileiro quando se habilitou ao Inovar-Auto. O regime automotivo dá desonerações e condições especiais para empresas com planos de investimento para o Brasil.

Mendonça de Barros admite que a mudança no cenário econômico brasileiro afetou as atividades da Foton no Brasil. Ainda assim, para ele, isso não altera os planos. “O País sempre passou por ciclos assim e depois voltou ao crescimento. Já vivi isso umas quatro vezes”, conta o executivo, que foi presidente do BNDES entre 1995 e 1998. Ele aponta que a matriz chinesa da empresa também entende que a situação é passageira e enxerga o Brasil como uma das chaves de sua internacionalização.

“Eles estão colocando os pés na Índia, na Rússia e aqui, que é um mercado mais exigente com qualidade e por isso pode ser ainda mais valioso dentro da experiência global”, avalia. Ainda que mantenha o otimismo sobre a situação econômica, o presidente da Foton Brasil reconhece que a situação é pior para o setor de veículos comerciais. “Vivíamos uma bolha causada pela oferta de crédito subsidiado que estourou.” Para ele, só na próxima década o Brasil alcançará novamente o patamar recorde de 2011, quando as vendas de caminhões passaram de 170 mil unidades. “Isso só deve acontecer entre 2021 e 2022.”

Assista à entrevista exclusiva com Luiz Carlos Mendonça de Barros, presidente da Foton do Brasil:



Tags: Foton, investimento, SUV, van.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência