Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Schiemer prevê ano 'péssimo' para pesados
Schiemer recebeu imprensa na concessionária Araguaia

Conjuntura | 12/03/2016 | 00h04

Schiemer prevê ano 'péssimo' para pesados

Presidente da Mercedes culpa governo por 'criar situação insustentável'

MÁRIO CURCIO, AB | De Campinas (SP)

Durante visita a um concessionário de caminhões e vans em Campinas (SP, veja aqui), o presidente da Mercedes-Benz Brasil, Phillipp Schiemer, admitiu a possibilidade de um desempenho ainda mais fraco para o segmento de caminhões em 2016: “Vai ser um ano péssimo”, disse o executivo, preocupado com a retração de 36,8% nas vendas de caminhões neste primeiro bimestre ante os mesmos dois meses do ano passado, uma base já ruim.

Schiemer culpa o governo por ter “criado uma situação insustentável para a indústria”. Ao comentar uma possível retomada na venda de caminhões pesados, segmento que menos caiu no primeiro bimestre, o executivo recorda: “O agronegócio está indo bem e o País continua tendo um potencial muito grande. Poderia voltar a ter um ambiente político estável, mas infelizmente isso não deve ocorrer este ano”, diz Schiemer.

Ele preferiu não cravar um número para 2016 como 55 mil ou 60 mil unidades emplacadas: “É cedo para isso. A situação é muito dinâmica. É só lembrar que em poucos dias a cotação do dólar teve uma grande variação (baixando da casa dos R$ 4,40 para R$ 3,60).” Schiemer recorda que tudo isso tem feito a matriz acompanhar com apreensão a situação do Brasil. “Fizemos grandes investimentos aqui recentemente, é natural que isso ocorra.”



Tags: Mercedes-Benz, Phillipp Schiemer, caminhões, indústria, dólar.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência