Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 07/03/2016 | 20h12

Grupo VW faz contas e adia resultado; Audi lucra € 4,3 bilhões

Marca premium foi pouco afetada pelo recall de motores diesel

PEDRO KUTNEY, AB

O Grupo Volkswagen divulgou na semana passada que só divulgará o balanço financeiro de 2015 no próximo dia 28 de abril, quando acontecerá na sede da companhia em Wolfsburg, Alemanha, a coletiva anual de imprensa e o encontro com investidores e analistas, quase dois meses depois do que usualmente costuma ocorrer. Com isso, a reunião anual de acionistas foi remarcada para 22 de junho, em Hannover. O atraso é reflexo direto do dieselgate, como ficou conhecido o escândalo que envolve 11 milhões de veículos de marcas do grupo vendidos no mundo inteiro com motores diesel adulterados, preparados para fraudar testes de emissões de poluentes e que deverão passar por recall para correção da fraude.

Enquanto o Grupo VW ainda faz contas para descobrir quanto vai custar o dieselgate, ao menos sabe que poderá contar com os bons resultados da Audi, que representa atualmente a maior fonte de lucro entre as marcas da companhia. A empresa divulgou seu balanço separado de 2015 também na semana passada, quando divulgou faturamento recorde 8,6% maior do que o de 2014, totalizando € 58,4 bilhões, com a entrega de 1,8 milhão de carros aos clientes no mundo todo, em ligeira alta de 3,6% sobre o ano anterior. O lucro líquido apurado ficou estável, somou € 4,3 bilhões, dos quais € 2,75 bilhões serão transferidos ao acionista controlador (VW).

Graças a um acordo que mantém com a companhia controladora, os custos do recall dos motores diesel de quatro cilindros envolvidos no dieselgate, também usados em modelos Audi, têm efeito reduzido sobre o resultado da Audi. Mesmo assim, a marca terá de arcar com despesas operacional financeiras para as medições técnicas, riscos legais e atividades de vendas. Por causa desses gastos excepcionais, a Audi apurou lucro operacional de € 4,8 bilhões, com retorno de 8,3% sobre as vendas, mas 6% abaixo do registrado em 2014. Sem considerar os itens especiais, o resultado operacional teria sido de € 5,1 bilhões e ficaria igual ao apurado um ano antes, com retorno de 8,8%. Seja como for, o porcentual ficou dentro da meta de 8% a 10%.

Em seus discursos na coletiva de imprensa realizada semana passada, os executivos da Audi, que um ano antes projetavam resultados melhores, tentaram descolar o planejamento da marca da crise de imagem provocada pelo dieselgate que agasta o grupo controlador. “Nós dominamos com sucesso um ano de desafios. Vamos agora investir, somente em 2016, mais de € 3 bilhões para a mobilidade do futuro e avançaremos com a eletrificação e a digitalização dos nossos produtos”, disse o CEO da Audi, Rupert Stadler, que prometeu para 2016 o aumento da velocidade da renovação de produtos, com o lançamento de “mais de 20 modelos novos ou revisados” – a começar pelo SUV compacto Q2, apresentado no Salão de Genebra, na Suíça, no início de março.

Stadler também destacou a inauguração próxima da nova fábrica da Audi no México, onde será produzido o Q5, além da contratação de mais de 1,2 mil especialistas que vão trabalhar em projetos estratégicos da marca na Alemanha.

Em 2016, a Audi tem expectativa de continuar a crescer em todo o mundo prevê aumento moderado no número de veículos entregues aos clientes, caso sejam mantidas estáveis as condições atuais. A empresa antecipa que os lucros deverão ser negativamente afetados no início pelas altas despesas para introduzir novas tecnologias, renovar produtos e ampliar o portfólio. O alto número de modelos planejados, os lançamentos no mercado e a expansão da rede de produção terão o mesmo efeito. Ainda assim a Audi pretende alcançar este ano retorno operacional sobre as vendas dentro da meta de 8% a 10%.



Tags: Balanço, Grupo VW, Volkswagen, Audi, lucro, resultado, diesel, dieselgate.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência