Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Trabalho | 03/03/2016 | 15h10

Honda abre PDV na divisão de motocicletas

Fabricante paralisou um setor inteiro da unidade de Manaus

MÁRIO CURCIO, AB

A Honda abriu um Programa de Demissão Voluntária (PDV) e suspendeu a produção do setor HDA2 da fábrica de Manaus, inaugurado em 2010 com investimento de R$ 90 milhões para elevar a capacidade produtiva da empresa de 1,5 milhão para 2 milhões de motos por ano. As iniciais HDA vêm de Honda da Amazônia, que faz 40 anos em 2016.

A fabricante espera a adesão ao PDV de 300 funcionários de diferentes níveis hierárquicos e que trabalhem em Manaus, São Paulo e Indaiatuba. O setor HDA2 foi concebido para produzir motonetas e scooters. Ali eram montadas a Biz (segunda moto mais vendida do Brasil), a Pop 110i, os scooters Lead 110 e PCX 150, mais quadriciclos e motores estacionários.

A produção se concentrará agora no Setor HDA1, que tem quatro linhas de montagem e antes era dedicado apenas à montagem de motocicletas de diferentes cilindradas. “Para que ocorra a reativação da linha HDA2 dependemos de uma recuperação nos volumes de vendas e produção. No momento, não há previsão”, informa a montadora. A fabricante aguardará a acomodação das linhas no HDA1 e as adesões ao PDV “para definir as próximas ações”.

A venda de motos no Brasil caiu quatro anos seguidos, após o recorde atingido em 2011. Naquele ano a Honda produziu quase 1,7 milhão de unidades. Em 2015 esse volume foi de pouco mais de 1 milhão. E a queda neste primeiro bimestre é próxima a 30%.

Além dos direitos previstos em lei, a Honda informa que o PDV inclui gratificação por ano trabalhado na empresa, suporte de plano de saúde e ajuda alimentação. Ficam de fora do programa os que possuem contrato por tempo determinado, os afastados, aqueles que têm estabilidade legal e os menores aprendizes.

YAMAHA ADERE AO PPE

Também como consequência da queda de mercado, a Yamaha adotou em Manaus o Programa de Proteção ao Emprego, com redução de 20% da jornada e 10% de salário para 1,6 mil funcionários. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas, ocorreram várias demissões na empresa em 2015 até que ela aderisse ao PPE. Sem citar números precisos, o diretor executivo da entidade, Sidney Silva, informa ter havido cortes também nas empresas Dafra, Suzuki e Traxx.



Tags: Honda, PDV, HDA1, HDA2, Biz, Pop, Lead, PCX, quadriciclos.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência