Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Carro compartilhado poderá gerar perda de € 7,4 bilhões para montadoras

Serviços | 26/02/2016 | 18h52

Carro compartilhado poderá gerar perda de € 7,4 bilhões para montadoras

E deve render outros € 4,7 bilhões para empresas que apostarem no serviço

REDAÇÃO AB

O serviço de carro compartilhado está ganhando força em áreas urbanas e aponta para um novo nicho promissor: este mercado deverá gerar uma perda estimada em € 7,4 bilhões para montadoras, uma vez que as vendas globais devem reduzir em 792 mil unidades o número de veículos vendidos até 2021, volume equivalente a um pouco mais de 1% dos 78,4 milhões de novos carros vendidos em mercados onde o compartilhamento é viável.

Os dados são do The Boston Consulting Group (BCG), empresa de consultoria de gestão global e estratégia de negócios, no estudo “Whats ahead for car sharing? The New Mobility and its Impact in Vehicle Sales”. A pesquisa revela ainda que este mercado deverá gerar € 4,7 bilhões para as empresas que apostarem neste serviço.

Na Alemanha, o serviço já está em fase bem adiantada, onde atualmente existem 140 serviços diferentes de car sharing em operação, controlando uma frota que subiu de 1 mil unidades em 2011, para mais de 15,4 mil hoje. A base de usuários cresceu de um pequeno grupo em 2001 para mais de um 1 milhão, também com maior aumento a partir de 2011.

Para que o negócio de compartilhamento de automóveis seja rentável na Europa e na América do Norte, o BCG aponta ser necessário uma população de pelo menos 500 mil habitantes. Já na Ásia-Pacífico, onde a renda per capita é geralmente menor e a infraestrutura de transporte é menos desenvolvida. O car sharing só será economicamente viável em cidades com população de 5 milhões de pessoas ou mais. “No entanto, em termos relativos, por conta do tamanho e crescimento da população, a Ásia-Pacífico será o maior mercado”, afirma Gang Xu, sócio do BCG e coautor do estudo.

De acordo com o estudo, globalmente, em 2021, cerca de 35 milhões de pessoas estarão registradas em um serviço de carro compartilhado, sendo 14 milhões na Europa, 6 milhões na América do Norte e aproximadamente 15 milhões de usuários na Ásia-Pacífico. “Esses usuários de serviços de compartilhamento de carros vão gerar uma receita global de € 4,7 bilhões em 2021, com uma receita bruta de € 3,2 bilhões, proveniente de usuários ocasionais, que precisam de um carro apenas para eventuais viagens”, afirma Marco Gerrits, sócio do BCG e coautor do estudo. “A Europa será a região com maior geração de receita, com € 2,1 bilhões, seguido pela Ásia-Pacífico, que irá contabilizar € 1,5 bilhão e pela América do Norte, com € 1,1 bilhão.”

Para mais informações sobre o estudo (em inglês), clique www.bcgperspectives.com.



Tags: Carro compartilhado, BCG, car sharing.

Comentários

  • Renato Almeida

    O setor imaginava que cresceria ad eternum? Uma queda mais do que óbvia e já em curso há muito tempo nos países realmente desenvolvidos. A indústria automotiva enfrenta o desafio de não sucumbir a miopia de marketing, descrita por Theodore Levitt nos idos 1960.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência