Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 26/01/2016 | 19h30

Remessas de lucro despencam e investimentos sobem em 2015

Queda do mercado e alta do dólar inverte fluxo do setor automotivo

PEDRO KUTNEY, AB

A aguda queda de quase 27% das vendas de veículos no mercado brasileiro, em conjunto com a acentuada valorização média de 42% do dólar sobre o real, derrubou em 2015 as remessas de lucro dos fabricantes de veículos para suas matrizes no exterior. Segundo consta no balanço das constas externas brasileiras divulgado pelo Banco Central na terça-feira, 26, as montadoras instaladas no Brasil enviaram de janeiro a dezembro do ano passado o total de apenas US$ 271 milhões, em pronunciado tombo de 70% sobre os US$ 884 milhões remetidos em 2014, valor que já havia declinado 73% em relação a 2013. O resultado atual é uma pequena fração da cifra recorde de US$ 5,7 bilhões pagos como dividendos em 2011, quando os ganhos eram altos e a cotação do dólar desceu a R$ 1,60.

O cenário atual inverteu o fluxo externo de capitais dos fabricantes de veículos no Brasil. Com o efeito multiplicador do dólar em alta sobre o real, vêm aumentando significativamente o volume de recursos injetados pelas matrizes em suas operações brasileiras. O investimento estrangeiro direto (IED) recebido pelo setor cresceu expressivos 55%, de US$ 2,91 bilhões em 2014 saltou para US$ 4,52 bilhões em 2015 – sendo que US$ 2,6 bilhões foram aportados somente em dezembro passado. Com isso, as montadoras formaram o setor industrial que mais recebeu IED pelo segundo ano consecutivo. Os valores vêm sendo usados para pagar novas fábricas, ampliações e modernizações industriais, bem como o desenvolvimento de produtos, em projetos que foram decididos antes da derrocada do mercado.

Na mão contrária, continuaram insignificantes e ainda caíram quase que pela metade os recursos investidos pelas montadoras no Brasil em operações externas, principalmente em unidades na Argentina. O valor total de IED aplicado por fabricantes de veículos no exterior somaram US$ 117 milhões em 2015, uma retração de 43,5% sobre os US$ 207 milhões de 2014.

Seguiram ritmo parecido os empréstimos intercompanhia. As matrizes das montadoras no exterior emprestaram US$ 5,52 bilhões às suas subsidiárias no Brasil em 2015, valor que cresceu 84% na comparação com os US$ 3 bilhões de 2014. No sentido inverso, por consequência, também houve expressivo crescimento das amortizações desses créditos tomados das sedes estrangeiras, que no ano passado chegaram a US$ 3,5 bilhões, em expansão de 104% sobre o exercício anterior.

Veja no gráfico abaixo a evolução das remessas de lucros e dividendos dos fabricantes de veículos instalados no Brasil:



Tags: Lucros, dividendos, remessas, Banco Central, BC, balanço, setor externo.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência