Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Greve na GM de São José vai parar na Justiça
Metalúrgicos da fábrica da GM em São José dos Campos permanecem em greve

Trabalho | 21/01/2016 | 16h53

Greve na GM de São José vai parar na Justiça

Montadora e sindicato terão audiência de conciliação na segunda-feira, 25

REDAÇÃO AB

No dia em que a greve dos trabalhadores da fábrica da General Motors em São José dos Campos (SP) chega ao quarto dia a GM informa por meio de comunicado que protocolou um pedido de dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho de Campinas (SP), sinalizando o fim das negociações. Uma audiência de conciliação foi marcada para a segunda-feira, 25, onde serão discutidas as alternativas sobre o valor da segunda parcela da PLR para os empregados da unidade.

Na nota divulgada na quinta-feira, 21, a GM reafirma que utilizou todos os recursos para evitar o corte de empregados, como férias coletivas, layoff, banco de horas e PDVs, programas de demissão voluntária. “A GM espera que um acordo seja feito em breve e assim as atividades no complexo possam ser retomadas normalmente.”

Também por meio de nota, o sindicato dos metalúrgicos da região afirma que irá participar da audiência e que a greve aprovada pelos trabalhadores na última segunda-feira será mantida “até que uma nova proposta de PLR seja negociada ou até que a Justiça do Trabalho julgue o caso”.

Os funcionários decidiram cruzar os braços após rejeitar a proposta da GM para o pagamento da segunda parcela da PLR no valor de R$ 5 mil e adiantamento da primeira parcela do 13º salário. Os metalúrgicos reivindicam pagamento mínimo de R$ 6.405 (leia aqui).

Na planta de São José dos Campos a produção permanece 100% parada. Lá são fabricados os modelos Trailblazer e S10, além de motores e transmissões. Segundo o sindicato, em 2015 foram produzidas 40 mil unidades da S10 na planta, gerando um faturamento de R$ 4,8 bilhões com este produto.

METALÚRGICOS APROVAM PLR EM SÃO CAETANO DO SUL

Já na fábrica da GM em São Caetano do Sul (SP) os trabalhadores aprovaram o valor de R$ 4.250 proposto pela montadora referente ao pagamento da segunda parcela da PLR em assembleia realizada na quarta-feira, 20. A quantia será paga na sexta-feira, 22.

Durante as negociações desta semana, a montadora propôs o valor de R$3.500, o que não foi aceito pelos funcionários, que chegaram a entregar um aviso de greve. Com o novo valor aprovado, a greve foi descartada.

“Este não é o momento oportuno para greve. A fábrica está com 80 dias de estoque, se entrarmos em greve só irá nos prejudicar e ser benéfico para a empresa”, afirmou o presidente do sindicato, Aparecido Inácio da Silva, o Cidão.



Tags: Greve, General Motors, GM, metalúrgicos, sindicato, São José dos Campos, PLR, dissídio, justiça.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência