Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Vendas de caminhões terão nova queda em 2016

Comerciais | 06/01/2016 | 15h04

Vendas de caminhões terão nova queda em 2016

Fenabrave espera definição do programa de renovação da frota ainda em janeiro

GIOVANNA RIATO, AB

O segmento de caminhões puxou a queda do setor automotivo em 2015, com redução de 47,6% nas vendas, para apenas 71,7 mil unidades. O tombo não será seguido por recuperação este ano se a expectativa da Fenabrave se cumprir. A entidade dos distribuidores de veículos projeta que os negócios tenham novo desaquecimento, ainda que mais sutil, de 2,7% na comparação com o resultado de 2015, para 69,8 mil caminhões.

-Veja aqui os dados da Fenabrave

“A redução será menor porque as vendas de pesados podem acabar subindo mesmo com a expectativa de queda no PIB”, comenta Tereza Maria Dias, da MB Associados, consultoria econômica da Fenabrave. Segundo ela, o setor agrícola caminha razoavelmente bem mesmo com a piora do cenário econômico. A especialista aponta que a tendência é de leve aumento da safra de grãos, o que pode puxar a demanda por caminhões pesados e extrapesados.

Outro fator positivo é a renovação obrigatória da frota em alguns segmentos, como o de combustíveis, que exige idade máxima de cinco anos para os veículos. Com isso, pode haver um leve movimento de compra em 2016. “Por outro lado, o setor da construção continua retraído, com o corte de 500 mil empregos em 2015. A área de infraestrutura também permanece em queda com o aperto fiscal do governo”, pondera.

Ao longo de 2016, o setor de veículos comerciais terá de administrar ainda o fim do Finame PSI, financiamento subsidiado pelo governo federal que impulsionou as vendas dos últimos anos. Volta a funcionar o Finame indexado pela TJLP (Taxa de Juros de Longo Prazo) que, segundo a Fenabrave, deve variar entre 15% ao ano e 17% a.a. ao longo de 2015. Alarico Assumpção Jr., presidente da organização, avalia que a mudança não será problema maior do que o cenário econômico. “As coisas vão se encaixando e o setor vai se adaptar”, acredita.

Considerando também o segmento de ônibus, as vendas devem chegar a 89,5 mil veículos em 2016. A entrega de chassis tende a alcançar 19,6 mil unidades, com redução de 3,2% sobre o resultado deste ano.

PROGRAMA DE RENOVAÇÃO DE FROTA SAI EM JANEIRO

A Fenabrave sustenta a expectativa de que um programa de renovação de frota seja anunciado em breve, até o fim de janeiro. A iniciativa traria alento para o setor, que poderia vender de 10 mil a 12 mil caminhões a mais em 2016. No médio e longo prazo, o setor projeta que um programa do gênero seria capaz de impulsionar emplacamentoS de 30 mil caminhões por ano.

A medida é negociada pela Fenabrave e por outras 18 unidades com o governo federal desde 2013. “Diante da situação atual, não esperamos qualquer subsídio”, aponta Assumpção. Ele é cuidadoso ao falar do programa, adiantando apenas que ele deve funcionar inicialmente para caminhões com mais de 30 anos e para automóveis com idade superior a 15 anos. No total, a expectativa é de que o programa possa estimular vendas de 500 mil unidades por ano, entre leves e pesados.

A ideia é que estes veículos possam ser recomprados pela rede de concessionárias, ou revendedoras independentes, que pagarão ao proprietário com uma carta de crédito para que ele adquira um veículo mais novo. “A ideia é tirar os carros antigos de circulação. Eles não serão revendidos, mas desmontados e reciclados”, esclarecem Assumpção.

Por enquanto o executivo não explica se haverá algum incentivo adicional para a renovação, já que um consumidor que tem um veículo com mais de 30 anos, mesmo com a carta de crédito da venda dificilmente conseguirá adquirir um modelo novo ou seminovo. “Teremos parceria com bancos públicos e privados, criaremos uma tesouraria para isso. Aguardamos apenas a aprovação do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior”, adianta.

RESULTADOS DE 2015

Em dezembro as vendas de caminhões tiveram crescimento de 17,8% sobre o fraco mês de novembro, com 5,5 mil unidades. Ainda assim, o resultado é 59,3% menor do que o registrado há um ano. No segmento de ônibus, as vendas chegaram a 20,3 mil unidades em 2015, com redução de 36,6% na comparação com o ano anterior. Em dezembro foram negociados 1,5 mil chassis, número 39% maior do que o de novembro e 43,2% inferior ao do mesmo período de 2014.

O fraco desempenho em 2015 coloca o mercado brasileiro de ônibus de volta ao patamar de 2006, quando foram emplacadas 19,7 mil unidades no Brasil. No caso dos caminhões, o ano passado foi o pior em vendas desde 2003, quando o mercado interno chegou a 65,9 mil unidades.



Tags: caminhões Fenabrave, vendas, veículos, mercado, emplacamentos.

Comentários

  • Bernabe Parizotto

    qual a marca de veiculos pesado teve o pior desempenho em vendas desde o inicio de 2016?

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência