Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 17/11/2015 | 20h00

Teksid fornecerá blocos de alumínio para motores da FCA

Propulsores de três e quatro cilindros ficarão prontos em 2016

PAULO RICARDO BRAGA, AB

A Teksid confirmou a Automotive Business que concluirá em 2016 o programa de investimento de R$ 250 milhões na fundição de alumínio, que permitirá o fornecimento de blocos e cabeçotes para os novos motores GSE da Fiat Automóveis, de três e quatro cilindros. Hoje já são entregues à Fiat os cabeçotes de alumínio para toda a linha de motores. Outros projetos no campo do alumínio estão sendo negociados com montadoras, que desengavetam os planos para a modernização de seus motores para atender as exigências de eficiência energética do Inovar-Auto.

Raniero Cucchiari, diretor comercial da Teksid para o Nafta e Mercosul, admite que o setor de fundição de blocos de motor e cabeçotes pouco tem a comemorar este ano. “Andamos no ritmo capenga do mercado, que era projetado em 5 milhões de veículos leves e este ano mal chegará aos 2,4 milhões”, afirma. As perspectivas, no seu entender, também não são boas para 2016, quando o segmento de leves deve registrar uma queda de 5% a 10%. Nesse cenário, só em 2020 seriam alcançados de novo o patamar de 3 milhões de unidades/ano. Os veículos comerciais, incluindo caminhões e ônibus, também reduziriam a marcha no próximo ano, caindo das atuais 90 mil unidades para 80 mil a 85 mil.

A produção da fundição de ferro da Teksid destinada a blocos, cabeçotes e outros componentes automotivos deve recuar para 150 mil toneladas este ano, ante as 170 mil toneladas processadas em 2014. Um terço desses volumes corresponde a produtos para o segmento diesel, sendo o restante destinado a otto.

Enquanto o mercado interno continua decepcionando, uma boa notícia vem das exportações, que avançam de 40 mil toneladas de ferro em 2014 para 50 mil toneladas este ano. “Temos a expectativa de voltar a ser predominantemente exportadores, como já fomos nos anos 1993 e 1994, quando 70% de nossos fundidos eram destinados ao exterior. Hoje estamos nos 30%”, revela Raniero. Ele explica que o crescimento será possível com o avanço da competitividade obtida com a desvalorização do real e com a busca de novos mercados.



Tags: Teksid, FCA, Fiat Chrysler, Fiat Automóveis, blocos, motor, cabeçotes, alumínio.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência