Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Lançamentos | 08/11/2015 | 22h30

Nova Toyota Hilux teve melhorias importantes

Chassi está 20% mais rígido e cabine ganhou 5 estrelas no Latin NCap

MÁRIO CURCIO, AB | De Mendoza (Argentina)

Entre as modificações importantes feitas pela Toyota na linha Hilux 2016 está um novo chassi 20% mais rígido e capaz de melhorar a estabilidade, a segurança no asfalto e o desempenho na terra. Segundo a fabricante, além do uso de materiais de alta resistência houve aumento de três milímetros na espessura de algumas seções do chassi. A aplicação de soldas está 44% maior. As mudanças feitas na cabine aumentaram o espaço para as pernas de quem vai à frente e também para os joelhos de viaja atrás. O projeto garantiu cinco estrelas na avaliação do Latin NCap.

Nas versões SRV e SRX a nova picape traz assistente de partida em rampas (HAC), que ajuda em terrenos difíceis ou mesmo na cidade. Ele aciona os freios automaticamente nas paradas em subida. A SRV e a SRX têm também o controle de tração ativo (A-TRC), que previne derrapagens ou desgarradas laterais porque aplica pressão automática nos freios de qualquer uma das quatro rodas que esteja perdendo aderência, ao mesmo tempo em que transmite mais torque à roda oposta.

O bloqueio do diferencial traseiro é de série em todas as versões. Quando ativado ele faz com que as duas rodas traseiras girem na mesma velocidade, evitando que uma delas patine e dificulte o movimento da caminhonete em piso escorregadio.

A versão SRX conta com o assistente de controle de descida (DAC). Em uma ladeira mais íngreme, se o freio motor não for suficiente, o motorista ativa o DAC em um botão no painel e a pressão do freio é enviada automaticamente às quatro rodas. O recurso faz com que a picape desça bem lentamente qualquer pirambeira e o motorista só tem o trabalho de usar o volante para se manter na trilha.

BOA DE DIRIGIR EM QUALQUER TERRENO

Automotive Business avaliou a Hilux 2016 em pequenos trechos de terra e asfalto. As novas suspensões têm mesmo um bom acerto. O eixo rígido traseiro ainda pula um bocado, mas o trabalho feito pela Toyota permite viajar na picape com algum conforto até mesmo em pisos de terra bastante irregulares.

A picape testada era uma SRX com câmbio automático de seis marchas, única transmissão disponível para a nova Hilux por enquanto (leia aqui). Essa caixa permite trocas sequenciais, mas só na alavanca de mudanças. Pelo preço inicial das versões automáticas (R$ 162.320 na SR), bem que a Toyota poderia oferecer borboletas para troca de marcha no volante. Mas nem a topo de linha HRX (R$ 188.120) traz o recurso.

Vale dizer também que as mudanças no modo sequencial são demoradas. De forma geral a Hilux agrada e aqueles que mantiverem a alavanca em Drive vão poder aproveitar as qualidades da picape, o conforto e o bom desempenho propiciado pelo novo motor 2.8 turbodiesel de 177 cavalos. Esse propulsor tem 6 cv a mais que o 3.0 anterior e 25% mais torque na opção automática (na manual serão 22% a mais). As ultrapassagens em estrada são fáceis e a 120 km/h mal se ouve o motor funcionando ali na frente.


Mudanças na cabine resultaram em mais espaço para os joelhos de quem vai atrás e para as pernas na dianteira. Novo câmbio automático tem seis marchas e permite trocas sequenciais na alavanca. Caçamba está 0,5 cm mais longa, 2,5 cm mais larga e 3 cm mais alta. Apoio da tampa agora é feito por placas de aço em vez de cabos.

Segundo a Toyota, o consumo para as versões automáticas é de 9 km/l na cidade e de 10,5 km/l na estrada. Com câmbio manual serão 9,3 km/l em uso urbano e 11,2 km/l em rodovia.

EQUIPAMENTOS E VERSÕES

Um confronto entre a cabine dupla SR 2016 (R$ 162.320) e a SRV 2015 (R$ 163.500) mostra mudanças importantes em equipamentos. A nova SR tem seis marchas, rodas de 17 polegadas, airbags frontais e de joelho. Na antiga SRV as rodas eram 16”, a transmissão tinha cinco velocidades, as rodas usavam aro 16” e havia airbags frontais apenas. A nova SR traz porta-luvas refrigerado e faróis com nivelamento manual mais Folow Me Home, itens que a SRV antiga não oferecia. No entanto, a SRV 2015 tinha bancos de couro com ajuste elétrico, que não estão na SR 2016.

Já a lista da SRV modelo 2016 (R$ 177 mil) recebe navegador GPS, TV digital, ar-condicionado automático com saídas para o banco de trás, faróis de neblina, painel de instrumentos colorido e alarme ultrassônico. As rodas têm 17 polegadas.

A topo de linha SRX traz, além desses itens, rodas aro 18”, airbags laterais e de cortina, chave presencial com botão de partida, faróis de LEDs com nivelamento automático e luz diurna. A caçamba das versões de cabine dupla está meio centímetro maior (1,525 mm), 2,5 cm mais larga (1,540 mm) e 3 cm mais alta (480 mm). Para aumentar a resistência, o apoio da tampa da caçamba utiliza agora placas de aço em vez de cabos.

No primeiro trimestre de 2016 chega o novo utilitário esportivo Hilux SW4. No segundo trimestre a Toyota passará a oferecer versões da picape com câmbio manual (chassi-cabine, cabine simples e cabine dupla STD). Embora mais simples, elas trarão de série direção hidráulica com assistência regressiva, ar-condicionado, coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, medidor de economia de combustível, aviso sonoro de chave na ignição e luzes acesas, limpador do para-brisa com temporizador e nivelador manual dos faróis.

Vidros com dispositivo antiesmagamento, travas e retrovisores elétricos estão disponíveis a partir da versão SR. Nesta e na nova SRV os vidros trazem função um toque para subida e descida. A SRX oferece essa funcionalidade para os vidros das quatro portas. Um novo motor flex passará a equipar a picape somente na segunda metade do ano que vem.

A Hilux surgiu em 1968 no Japão. De lá para cá foram 16 milhões de unidades vendidas em 180 países. O Brasil soma 380 mil Hilux emplacadas desde os anos 1990.



Tags: Toyota, Hilux, SR, SRV, Latin NCap, controle de tração, DAC, 4x2, 4x4, reduzida.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência