Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 26/10/2015 | 17h40

Lucro global da GM cresce 74%, mas América do Sul registra o maior prejuízo da companhia

Resultados na América do Norte turbinam o balanço de nove meses

REDAÇÃO AB

Apesar do faturamento global de US$ 112,7 bilhões ser 3% menor do que o verificado nos primeiros nove meses de 2014, a General Motors divulgou semana passada lucro líquido com substancial alta de 74% no mesmo período, somando US$ 3,4 bilhões no acumulado de janeiro a setembro. O resultado do terceiro trimestre, contudo, ficou estacionado em US$ 1,36 bilhão, muito próximo do US$ 1,47 bilhão apurado em idêntico intervalo do ano passado. A principal contribuição positiva veio da operação na América do Norte, seguida pelas vendas na Ásia, enquanto a Europa reduziu as perdas quase pela metade e a América do Sul mais que dobrou o prejuízo.

Devido ao forte recuo das vendas no maior mercado da região, o Brasil, a divisão GM América do Sul (GMSA) apresentou o maior prejuízo do grupo. O Ebit (resultado antes de impostos e despesas ou ganhos financeiros) apurado na região entre janeiro e setembro apontou resultado negativo de US$ 575 milhões, uma expansão de 114% sobre a perda de US$ 269 milhões registrada no mesmo período de 2014.

A divisão europeia GME continua no vermelho, mas reduziu em 47% o prejuízo, com Ebit negativo de US$ 515 milhões, contra US$ 976 milhões nos nove primeiros meses de 2014.

O maior ganho da companhia foi apurado na América do Norte, turbinado pela recuperação nos Estados Unidos, mercado que representou em nove meses 51,6% das vendas em todo o mundo. O Ebit contabilizado pela divisão GMNA foi de US$ 8,25 bilhões, expressivos 87,6% maior do que os US$ 4,4 bilhões apurados em 2014 até setembro.

Englobando Ásia-Pacífico, África e Oriente Médio, os resultados da divisão GM International Operations (GMIO) continuam positivos, com Ebit de US$ 989 milhões em nove meses, 19,7% acima dos US$ 826 milhões apurados em idêntico intervalo do ano passado.

Excluindo os veículos produzidos por joint ventures, as vendas totais da GM no mundo somaram 4,36 milhões de unidades de janeiro a setembro, cerca de 90 mil a menos do que 4,45 milhões vendidos no mesmo período de 2014. Mais da metade foi vendida na América do Norte (2,64 milhões, +7%), seguida por 847 mil na Europa (-2,5%), 435 mil na América do Sul (-31,7%) e 431 mil (-9,8%) nos países da GMIO.

“Estes resultados refletem nosso trabalho para capitalizar nossa força nos Estados Unidos e China, enquanto adotados passos decisivos e proativos para mitigar os desafios em outros lugares”, avaliou Mary Barra, CEO da GM, em comunicado distribuído pelo grupo após a divulgação dos resultados na semana passada. “A GM é uma companhia totalmente diferente hoje do que era há apenas cinco anos. Estamos construindo fundações sólidas, aumentando ganhos em nosso negócio principal e executando um plano para liderar a mobilidade pessoal do futuro, tudo com o objetivo de criar valor aos acionistas nos anos por vir”, acrescentou.



Tags: General Motors, GM, balanço, resultado, lucro.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência