Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Motores | 21/10/2015 | 18h30

Dieselgate da Volkswagen chega ao Brasil com Amarok

Mais de 17 mil unidades estão equipadas com software que frauda emissões

REDAÇÃO AB

A Volkswagen confirmou que 17.057 picapes Amarok modelos 2011 e 2012 vendidas no Brasil estão equipadas com o software da unidade de comando do motor que frauda os resultados de emissões de poluentes dos veículos (especialmente o NOx). Este volume se junta aos 11 milhões de carros diesel equipados com o motor EA189, de diversas marcas do Grupo VW, vendidos com o mesmo problema em todo o mundo desde 2008, sendo 8,5 milhões deles em 28 países da União Europeia, que estão envolvidos em um dos maiores recalls já feitos na Europa, conforme decisão anunciada semana passada pelo governo alemão (leia aqui). A confirmação da inclusão da Amarok entre os modelos da marca que contém o programa fraudador foi feito pela própria Volkswagen do Brasil por meio de comunicado divulgado à imprensa na tarde da quarta-feira, 21.

Na nota, a empresa informa que está verificando por meio de investigações na Alemanha a influência desse software quanto ao atendimento dos limites de emissões e que, tecnicamente, o programa não afeta a segurança nem a funcionalidade do veículo. Está prevista uma atualização do software, processo que se encontra ainda em desenvolvimento. Por meio de sua assessoria, a Volkswagen do Brasil reitera que a matriz trabalha na atualização de maneira que não altere o desempenho do motor quanto a potência, torque ou consumo, mas não fica claro se a correção do software irá ou não afetar esses fatores ao enquadrar o motor nos limites de emissão exigidos pela legislação em todas as situações de uso.

Ainda no comunicado, a Volkswagen confirma que o recall da Amarok no Brasil deverá ser feito no primeiro trimestre de 2016, quando enviará cartas aos proprietários dos veículos equipados com o software (veja abaixo relação dos chassis envolvidos). No caso da Europa, o recall terá início em janeiro e deverá se estender pelo resto do ano que vem. Segundo a empresa, parte dos modelos Amarok 2012 e todos os modelos 2013 não têm o software que maquia os valores de NOx (óxidos de nitrogênio) durante os testes de emissões em laboratório, e acrescenta que todos os demais produtos da marca no mercado brasileiro com motores a gasolina ou flex “estão de acordo com os níveis da legislação de emissões”, diz a nota.

Fabricada na unidade de Pacheco, na Argentina, a Volkswagen Amarok vendida no Brasil é equipada com a versão 2.0 do motor a diesel EA189 importado da Alemanha, com o mesmo software que altera os dados de emissões em testes oficiais que deflagrou um dos maiores escândalos da indústria automotiva mundial, após a descoberta há cerca de dois anos em um teste de estrada nos Estados Unidos só revelado há um mês, que descobriu emissões 40 vezes maiores em relação às apuradas em laboratório. Analistas estimam que os custos de todo o escândalo, incluindo os recalls, podem chegar a US$ 34 bilhões (leia aqui).


Ano modelo 2011: BA000257 até BA000338
Ano modelo 2011: B8000200 até B8082605
Ano modelo 2012: CA001950 até CA026145



Tags: Volkswagen, fraude, emissões, motor, diesel, software, Amarok, escândalo.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência