Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
VW corta € 1 bi por ano de investimento
Diess, desde julho CEO da divisão VW: aceleração de programa para economizar € 5 bilhões até 2017

Internacional | 13/10/2015 | 19h30

VW corta € 1 bi por ano de investimento

Marca adota mudanças em carros diesel e lançará plataforma elétrica

REDAÇÃO AB

Herbert Diess, executivo vindo da BMW que desde julho deste ano assumiu o comando da maior das divisões do Grupo Volkswagen, a que produz os carros que têm a marca do próprio nome da companhia, anunciou a adoção de medidas para acelerar o que chama de “programa de eficiência”, que busca economias e melhorias operacionais no total de € 5 bilhões até 2017, para fazer frente aos pesados prejuízos que a empresa vislumbra após o escândalo de fraude no controle de emissões de poluentes de seus carros diesel, revelado no mês passado. A ordem é cortar custos fixos e reduzir em € 1 bilhão por ano o plano de investimentos destinado a desenvolvimento de modelos, tecnologias e plantas de produção da divisão Volkswagen. Também terá início uma reorientação na estratégia de produtos, com mudança de tecnologia aplicada a automóveis diesel e a ampliação da eletrificação de veículos.

As decisões foram anunciadas na terça-feira, 13, pelo recém-criado conselho de administração da divisão. “A marca Volkswagen está se reposicionando para o futuro. Estamos nos tornando mais eficientes, dando novo foco ao portfólio de produtos e abrindo espaço para novas tecnologias ao acelerar o programa de eficiência”, destacou o CEO Diess em nota. Há quase um ano, em novembro de 2014, o Grupo Volkswagen havia anunciado um programa de investimentos de € 85,6 bilhões para todas as divisões no período 2015-2019. Ao menos metade dos recursos seriam usados na modernização e expansão das linhas de produtos. Contudo, após o escândalo das emissões dos carros diesel que atinge 11 milhões de veículos das diversas marcas do grupo (5 milhões só da Volkswagen), todas as unidades da companhia terão de fazer cortes profundos em seus gastos.

Após a Volkswagen, é esperado o anúncio de redução de investimentos nas divisões Audi, Porsche, Seat e Skoda, que também estariam trabalhando em “programas de eficiência” parecidos. A Audi, marca que mais contribui com lucros para o grupo, já trabalhava em um plano para aumentar sua produtividade antes do escândalo. De acordo com fontes do setor citadas pela imprensa internacional, já no ano passado a empresa planejava cortar € 2 bilhões em custos anuais para compensar gastos com a adoção de novas tecnologias. É possível que as economias tenham de ser ainda maiores, já que a Audi admitiu que vendeu cerca de 2 milhões de veículos diesel equipados com o mesmo sistema que frauda os testes de emissões.

DIESEL SÓ COM SCR

Para começar, a Volkswagen promete corrigir seu principal problema: quer equipar os carros diesel vendidos na Europa e América do Norte com sistema de pós-tratamento catalítico dos gases de escape, o sistema SCR, com injeção de solução de ureia (conhecida como AdBlue na Europa e Arla 35 no Brasil) para reduzir as emissões de poluentes. “Os veículos diesel serão equipados apenas com sistemas de exaustão que usam a melhor tecnologia ambiental”, diz a nota da VW, sem deixar claro, no entanto, se essa é a solução encontrada para sanar os problemas de emissões de poluentes de veículos já vendidos, ou se somente novos modelos vão incorporar o SCR.

Os carros da marca que foram desmascarados em um teste independente de estrada nos Estados Unidos com emissões quase 40 vezes maiores do que as permitidas pela legislação usavam o sistema EGR, de recirculação dos gases de escape, que não atendiam os limites e utilizavam equipamento eletrônico que fraudava as medições em testes de laboratório.

APOSTA NA ELETRIFICAÇÃO

Em contraposição ao fiasco de imagem ambiental trazido pelos carros diesel, como forma de acenar com tecnologias mais limpas para o futuro, a Volkswagen anunciou a ampliação da eletrificação da plataforma multiveículo MQB, sobre a qual podem ser fabricados 43 modelos de automóveis do grupo. O objetivo é usar a MQB para oferecer mais opções de veículos híbridos plug-in, meio híbridos (mild hybrids) equipados com baterias de 48 volts (têm um pequeno propulsor elétrico para auxiliar nas arrancadas e podem rodar algum tempo em inércia, com o motor desligado), bem como automóveis de grande volume de produção 100% elétricos com autonomia para rodar até 300 quilômetros. A fabricante também fala em seguir investindo no desenvolvimento de motores a combustão mais eficientes a gasolina, diesel e gás natural.

A Volkswagen promete ainda a criação da plataforma elétrica MEB para uso em futuros carros compactos elétricos de diversas marcas do grupo. O desenvolvimento será feito sobre arquiteturas já existentes de veículos de passageiros e comerciais leves, com objetivo central de lançar modelos com autonomia elétrica de 250 a 500 quilômetros.

No Salão de Frankfurt, setembro passado, o Grupo VW anunciou que lançaria até o fim desta década 20 modelos elétricos e híbridos plug-in, incluindo o primeiro 100% elétrico da Porsche, baseado no conceito Mission E apresentado no evento, além de uma versão comercial do Audi e-tron Quattro.

Seguindo a linha de eletrificação, a Volkswagen informou também que o projeto do Phaeton será totalmente redefinido. A nova geração do sedã de grande porte topo de linha da marca, a ser lançada entre 2019 e 2020, terá propulsão 100% elétrica. A ideia é utilizar o modelo como exemplo de evolução tecnológica da Volkswagen, com motor elétrico de grande autonomia, além de sistemas avançados de conectividade e assistência ao motorista, com funções como frenagem automática e direção parcialmente autônoma.

“Reconhecemos que somente poderemos implementar essas inovações para o futuro da Volkswagen se fomos bem-sucedidos com nosso programa de eficiência e em dar novo foco ao portfólio de produtos”, afirmou Diess. “Junto com meus colegas do conselho de administração e todo o time estamos trabalhando em velocidade máxima nessas questões. A equipe da Volkswagen sempre provou que permanece unida e totalmente focada em construir o futuro, particularmente em tempos difíceis”, completou.



Tags: Volkswagen, VW, investimento, corte, reestruturação, escândalo, fraude, diesel.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência