Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Lançamentos | 06/10/2015 | 12h01

Honda Twister volta com projeto e motor novos

Modelo de 250 cc aposenta CB 300R, que ficou cara e defasada

MÁRIO CURCIO, AB | De Manaus (AM)

A Honda trouxe de volta o nome Twister em uma nova moto de 250 cc. Nova mesmo, porque não tem nada do modelo antigo que deixou o mercado brasileiro em 2009 nem da CB 300R, que surgiu naquele ano e saiu de linha em setembro de 2015. O lançamento é destaque no Salão Duas Rodas (de 7 a 12 de outubro no Anhembi) e chega à rede neste mês em duas versões, básica por R$ 13.050 e com ABS por R$ 14.550, valores sem frete.

A explicação dada pela Honda para o “downgrade”: com a restrição ao crédito que afeta o setor de duas rodas desde 2012, o consumidor das CG 125 e 150 tinha dificuldade de subir para a CB 300R. Essa moto teve seu auge em 2011, com 82,4 mil unidades, mas em 2014 registrou 34,2 mil emplacamentos. Também é verdade que ela envelheceu sem receber nenhuma mudança importante além da atualização do motor, que nasceu a gasolina e se tornou flex.

“A nova Twister tem melhor posicionamento como próximo degrau da linha CG”, afirma o supervisor de planejamento de produto da Honda, Hayato Ikejiri.

O público dessas motos é predominantemente masculino, tem renda baixa ou média e procura um modelo com a aparência de motocicletas de alta cilindrada, algo que a Honda conseguiu entregar na motocicleta recém-lançada.

O motor é diferente do utilizado tanto na antiga CBX 250 Twister como na CB 300R. Tem comando simples em vez de duplo, mas manteve quatro válvulas. A potência máxima é de 22,6 cavalos com etanol. O arrefecimento é a ar e óleo. A transmissão volta a ter seis marchas (na CB 300R eram apenas cinco).

O volume projetado pela Honda é de 40 mil unidades por ano, metade dos emplacamentos que as antigas Twister obtiveram em seu melhor momento, em 2007. A projeção contida é reflexo dos tempos difíceis que o setor enfrenta, com quedas consecutivas desde 2012.

Entre as inovações utilizadas na CB Twister está o amortecedor traseiro com mola dupla, que garante bom compromisso entre conforto em piso ruim e segurança numa tocada mais esportiva. O quadro utilizado é do tipo perimetral com dupla trave. Com ou sem ABS, todas as versões têm freios a disco nas duas rodas.

A nova moto começou a ser idealizada em 2012 e contou com a ajuda do Centro de Desenvolvimento de Tecnologia de Manaus, inaugurado em setembro de 2013. Ali foram investidos R$ 20 milhões. A Twister certamente vai encher os olhos não só dos donos de CG, mas também dos motoristas que vêm sonhando com uma opção de duas rodas para evitar os congestionados.

O desenho é bem atual, algo fácil de notar pelo farol, pelo formato do tanque, dos defletores e da rabeta afilada. O modelo já se enquadra na fase dois do Promot 4, programa de controle de emissões por veículos de duas rodas que restringe as emissões do motor, as evaporativas e passa a valer em 1º de janeiro de 2016.


CB Twister traz novo motor de 250 com até 22,6 cv e seis marchas. A moto aposenta a CB 300R, fabricada desde 2009 sem atualizações importantes além do motor, que era a gasolina e virou flex

COMO ANDA A CB TWISTER

Automotive Business pilotou a nova moto na pista de testes da Honda no Amazonas. A altura do assento de 78,4 centímetros facilita o uso por quem tem 1,70 metro ou menos. O peso reduzido também ajuda. São 135 quilos sem ABS e 137 kg com ele. O bom acerto geral impressiona. A moto é confortável e tem grande capacidade de fazer curvas de baixa ou alta velocidade.

A unidade avaliada tinha ABS, cujo preço ainda é alto para modelos desse porte, mas baixo pela segurança extra que representa. Quem tiver esse dinheirinho a mais deve investir. O motor empolga menos que o restante da moto. A sensação de falta de força fica evidente em retomadas acima de 80 km/h e em subidas. Em rotações médias e baixas a moto convence e deve agradar àqueles que a usarem nas grandes cidades.

O torque máximo informado pela Honda é de 2,24 kgf.m com gasolina ou etanol. O tanque da Twister comporta 16,5 litros. A Honda não informa consumo, mas não será difícil chegar a 30 km/l utilizando gasolina, o que daria uma autonomia próxima a 500 quilômetros.

Outro destaque de baixa cilindrada no salão é o scooter Honda PCX 150, que passou por uma grande reestilização na linha 2016 (veja aqui).



Tags: Honda, CB Twister, CB 300R, Hayato Ikejiri, CG 125, CG 150.

Comentários

  • Erich Albert

    Eu quero essa moto

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência