Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Conjuntura | 17/08/2015 | 23h00

Indústria precisa agir sem esperar governo

Dependência excessiva de políticas cria ineficiências no setor

PEDRO KUTNEY, AB

Para a consultora Letícia Costa, sócia-diretora da Prada Assessoria, a indústria automotiva nacional perde muito tempo esperando por políticas, proteções e incentivos do governo, por isso perdeu a oportunidade de tornar-se mais global e competitiva e agora sofre com a retração do mercado interno, do qual é excessivamente dependente. “O que assusta não é a crise, já passamos por muitas e essa promete ser demorada. O que de fato preocupa é a falta de rapidez e assertividade do empresariado em responder aos fatos, que deixa de tomar decisões inevitáveis de reestruturação e não traça estratégias necessárias para o futuro”, avaliou Letícia na palestra que encerrou o Workshop Planejamento 2016, promovido por Automotive Business na segunda-feira, 17, em São Paulo.

“Fala-se em reestruturação como se fosse algo comum da vida. Mas não é o caso de discutir se é preciso fazê-la, o cenário de piora das condições já é um fato”, afirmou a consultora, lembrando a urgência que o momento exige no corte de custos, com redução da produção e de pessoal nas fábricas, pois não há sinais de recuperação no curto prazo. “O problema é que reestruturação não substitui a estratégia que deveria estar traçada para passar pela crise e aproveitar melhor as oportunidades quando o mercado se recuperar”, opinou.

Letícia alerta que “se usa a crise como desculpa para não buscar o aumento necessário de produtividade e competitividade”. Para ela, coloca-se foco excessivo na crise e perde-se a perspectiva de longo prazo.

“Passamos pela década perdida dos aos 80, depois teve a crise de 98 que durou 10 anos no setor, aí teve o racionamento de energia de 2001, veio a eleição que parou o mercado em 2002. Agora existe a falta de confiança dos consumidores e empresário que não será superada em pouco tempo. Já deveríamos ter aprendido que não dá para ficar esperando pelo que o governo vai fazer, é preciso agir”, disse.

Letícia lembrou que no momento de aquecimento do mercado, a partir de 2006 até 2012, perdeu-se a oportunidade de ganhar escala e produtividade internacional. “Aí quando a crise vem não sobra nada.”

A consultora enumerou algumas das armadilhas armadas no caminho do setor: dependência excessiva do mercado interno, falta de competitividade internacional com produtos de baixa atratividade global, baixo nível de inovação e, por consequência, alta dependência de proteção do governo. “É o caso do Inovar-Auto, que não deveria ser renovado.”

Para concluir, Letícia aconselhou que todo o foco, agora, deve ser em ganhos de produtividade e competitividade, porque a reestruturação já deveria ter sido feita.



Tags: Workshop Planejamento 2016, eventos, economia, cenário, conjuntura, projeção, Letícia Costa.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência