Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Nissan comemora 1º trimestre do ano fiscal
Carlos Ghosn, CEO da Nissan, comemora boa demanda na América do Norte e Europa

Balanço | 31/07/2015 | 18h35

Nissan comemora 1º trimestre do ano fiscal

Lucro líquido obtido no período registrou crescimento acima de 35%

REDAÇÃO AB

A Nissan Motor Co. anunciou resultados financeiros positivos para os três primeiros meses do ano fiscal 2015, que começou em 1º de abril. A companhia obteve receita líquida de 2,9 trilhões de ienes (US$ 23,9 bilhões), alta de 17,6% sobre o mesmo período do ano fiscal anterior.

O lucro operacional foi de 193,7 bilhões de ienes (US$ 1,6 bilhão), aumento de 58%. O resultado líquido foi de 152,8 bilhões de ienes (US$ 1,3 bilhão), crescimento de 36,3% em relação ao ano fiscal 2014.

As vendas unitárias da fabricante subiram 4,4% em um mercado que cresceu 1,5%. A participação se elevou para 5,9%, ante 5,7% do ano anterior. A companhia vendeu 1,29 milhão de veículos durante o período.

"A Nissan entregou resultados sólidos principalmente pela forte demanda por nossos produtos na América do Norte e na Europa”, afirma o CEO e presidente mundial da Nissan, Carlos Ghosn. "Isso se deve ao lançamento de produtos, aos benefícios da sinergia com a Aliança Renault-Nissan e à disciplina nos gastos”, diz Ghosn, certo de que entregará os resultados esperados até o fim do ano.


¹ Baseado nas taxas médias de câmbio da moeda japonesa JPY 121,4/USD e JPY 134,2/EUR

No período, a Nissan lançou o Maxima reestilizado nos Estados Unidos e expandiu os mercados da picape NP300 Frontier para a América Latina e Caribe. O utilitário esportivo Murano recebeu do instituto norte-americano IIHS o prêmio Top Safety Pick Plus, de veículo mais seguro do segmento, e o Sentra foi escolhido o carro do ano em qualidade por J.D. Power e IQS.

A Infiniti alcançou a quinta posição no ranking de qualidade J.D. Power IQS, sendo reconhecida como a marca que mais cresceu entre todas as analisadas. Todos os Infiniti ficaram acima da média nos respectivos segmentos e os utilitários esportivos QX70 e QX80 obtiveram o primeiro lugar em seus segmentos.

A Nissan ainda se beneficia da demanda por Qashqai, Rogue e X-Trail, três modelos produzidos sobre a plataforma Common Module Family, desenvolvida em conjunto com a Renault. A Nissan terminou o primeiro trimestre do ano fiscal 2015 como a marca asiática mais vendida na Europa.

E manteve a liderança entre os veículos de emissão zero. As vendas totais do Nissan Leaf passaram de 180 mil unidades e a companhia continua a expandir a presença dos elétricos comerciais com o e-NV200.

Em uma base pro forma de gestão, que inclui a consolidação proporcional dos resultados da operação de joint venture da Nissan na China, a receita líquida do primeiro trimestre do ano fiscal 2015 aumentou para 3,12 trilhões de ienes (US$ 25,7 bilhões), 16% superior ao ano anterior. O lucro operacional foi 41% superior em relação ao mesmo período do ano passado, para 219,7 bilhões de ienes (US$ 1,83 bilhão), resultando em uma margem operacional de 7%.

PERSPECTIVA PARA O ANO FISCAL 2015

Com os próximos lançamentos previstos, como a picape Titan nos Estados Unidos e o sedã Lannia na China, a Nissan confirma a perspectiva de vender 5,55 milhões de unidades neste ano fiscal, um crescimento de 4,4% que equivale a uma participação de 6,5% no mercado global.

A montadora também manteve as previsões financeiras na Bolsa de Tóquio, feitas em maio de 2015. Calculadas pelo método de equivalência patrimonial para o ano fiscal que termina em 31 de março de 2016, as previsões estão no quadro a seguir.



Tags: Nissan, ano fiscal, Renault, Aliança Renault-Nissan, Carlos Ghosn, IIHS, J.D. Power, Murano, Leaf, Qashqai, Rogue, X-Trail, Frontier, Infiniti, Lannia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência