Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 28/07/2015 | 17h41

GM dobra para R$ 13 bi investimento no Brasil

Nova família com seis modelos Chevrolet será lançada em 2019

PEDRO KUTNEY, AB

A General Motors anunciou que vai dobrar seu plano de investimento no Brasil para R$ 13 bilhões no período 2014-2019. O aporte adicional de R$ 6,5 bilhões se soma aos outros R$ 6,5 bilhões anunciados em agosto do ano passado. Os novos recursos, que segundo a GM equivalem a US$ 2 bilhões (ao câmbio de R$ 3,20 por dólar), são parte significativa dos US$ 5 bilhões que a companhia destinará ao desenvolvimento de uma nova plataforma modular global para carros destinados exclusivamente a países emergentes, com produção prevista para China, Índia, México e Brasil. No caso brasileiro, essa base dará origem a seis modelos Chevrolet inseridos nos segmentos de maior demanda do mercado. “O primeiro deles será lançado em 2019 e os demais ao longo de um ano e meio”, afirmou Santiago Chamorro, presidente da GM do Brasil.

“Acreditamos que o crescimento vai acontecer fora dos mercados maduros, nos emergentes, e o Brasil tem papel importante nesse cenário. Mesmo que a situação atual não represente o melhor momento do País, acreditamos que existe grande potencial aqui”, disse Dan Ammann, presidente mundial da GM Company, que chegou na terça-feira, 28, a São Paulo para participar do anúncio do novo investimento global da companhia. “Vimos muitas mudanças nesses mercados nos últimos anos, com consumidores que procuram carros com mais conectividade, segurança e economia. Por isso chegamos à conclusão que era hora de adotar uma abordagem diferente, com uma nova família de veículos dedicada a esses países”, acrescentou.

Segundo Ammann, a GM estima que os modelos nascidos da nova plataforma modular deverão somar vendas de 2 milhões de unidades por ano na próxima década. O centro de engenharia localizado em São Caetano do Sul (SP) terá papel protagonista no desenvolvimento do projeto, que também será tocado por engenheiros e designers sediados nos Estados Unidos e China. “Não será um carro para o mundo todo, mas vários modelos adaptados para cada mercado”, afirma o presidente da GM Company.

SEM EXPANSÃO DE CAPACIDADE

“Estamos dobrando o investimento no País para desenvolver novas gerações de veículos já existentes e entrar em segmentos onde ainda não estamos e que têm apresentado crescimento consistente”, definiu Jaime Ardila, presidente da GM South America. Segundo ele, “não há necessidade de ampliação de fábricas, julgamos a capacidade que temos no Brasil adequada para as projeções atuais”. Ardila estima que este ano o mercado brasileiro deve fechar com 2,8 milhões de emplacamentos, número que tende a se repetir em 2016, talvez com leve avanço. “Só esperamos por recuperação em 2017 e a volta do crescimento sustentado em 2018, em linha com o investimento que estamos fazendo”, avalia.

A GM ainda não revela onde exatamente os recursos serão aplicados, mas Ardila adianta que, basicamente, o programa servirá para desenvolver a nova família de veículos para o Brasil, incluindo novos motores e transmissões, além de equipar fábricas e fornecedores com ferramentais e maquinário atualizados.

Para o executivo, não há contradição em anunciar o vultoso investimento no momento de forte contração do mercado automotivo brasileiro. “Continuamos a avaliar que o Brasil tem muito potencial. Colocamos nosso dinheiro onde acreditamos que vamos obter retorno. Estamos enfrentando um momento difícil, mas existem condições para a volta do crescimento depois de vencida esta fase de ajuste fiscal e instabilidade política. O País tem legislação estável, economia ampla, demografia favorável e consumidores que gostam de carros”, enumera.

“O novo investimento nos permitirá modernizar nossos produtos para defender a posição de mercado no Brasil”, avalia o presidente da operação brasileira da GM, Santiago Chamorro. “Teremos também em novos motores e transmissões com foco em eficiência”, diz. O executivo também destaca que a montadora vem trabalhando junto aos fornecedores para trazer tecnologia aos carros nacionais da montadora. “Vamos fazer um esforço de nacionalização para fabricar a nova família de modelos aqui”, afirma.



Tags: GM, General Motors, Chevrolet, investimento, plataforma global, indústria.

Comentários

  • Carlos

    Com apoio da SAIC - Shanghai Automotive Industry Corporation, parte da Chevrolet Brasil se tornara empresa de baixo custo. É uma Pena.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência