Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias
Ônibus a hidrogênio circulam em São Paulo

Tecnologia | 14/07/2015 | 17h06

Ônibus a hidrogênio circulam em São Paulo

Três veículos Marcopolo circularão no corredor metropolitano ABD

REDAÇÃO AB

Começaram a circular na Grande São Paulo três ônibus movidos a hidrogênio. Os modelos Marcopolo Viale BRS rodarão no transporte urbano no corredor São Mateus-Jabaquara (ABD). A iniciativa faz parte do projeto Ônibus Brasileiro a Hidrogênio do Ministério das Minas e Energia (MME) e consórcio liderado pela EMTU, vinculada à Secretaria Estadual dos Transportes Metropolitanos. O programa nasceu para estudar o estudo do uso do hidrogênio como combustível em ônibus urbanos.

Os veículos têm desenvolvimento nacional, fruto da parceria entre a encarroçadora e outras empresas envolvidas no consórcio: Ballard Power Systems, EPRI International, Hydrogenics Corporation, Petrobras Distribuidora e Tuttotrasporti. O grupo é responsável por construir os veículos e instalar uma estação de produção de hidrogênio por eletrólise a partir da água para abastecimento.

O ônibus roda com tração elétrica híbrida, que combina um motor elétrico alimentado por célula de combustível a hidrogênio e baterias. Há ainda recuperação de energia das frenagens. O conjunto garante autonomia para 300 quilômetros. A Marcopolo assegura que o sistema de célula a combustível não produz nenhum tipo de poluente.

A encarroçadora aponta que o Brasil é o primeiro país do hemisfério sul a produzir um ônibus com a tecnologia. Até então, apenas Alemanha, Canadá e Estados Unidos faziam modelos do gênero. “O destaque é que, graças ao trabalho da engenharia, o veículo tem a mesma capacidade de passageiros que um modelo convencional a diesel, o que o diferencia de outros movidos a combustíveis limpos, onde a capacidade é bastante reduzida”, apontou Paulo Corso, diretor de operações comerciais da Marcopolo, em comunicado.

O projeto Ônibus Brasileiro a Hidrogênio nasceu em 1993, mas ganhou força em 2006, quando quatro veículos com a tecnologia começaram a operar em teste. Para esta etapa do programa está previsto ainda o acompanhamento e verificação do desempenho das unidades em circulação.



Tags: Marcopolo, ônibus, hidrogênio, tecnologia, zero emissão.

Comentários

  • Carlos André

    Como é difícil sair das tecnologias que detêm o controle comercial energético! A quanto tempo ouvimos falar de motores movidos a água, hidrogênio, energias livres, casas auto sustentáveis. Mas os poderosos "donos do mundo" compram as patentes ou até as almas dos inventores quando não usam da força para que se calem. Temos que migrar gradualmente para energias alternativas e cortar os fortes elos comerciais que nos mantém reféns dos donos do mundo. Hoje mesmo estamos sendo saqueados pelas companhias elétricas e governo com aumentos brutais estabelecidos em contratos perversos. Já estamos muito atrasados, temos que nos dedicar nas baterias, geradores eólicos individuais, foto células, equipamentos conversores mais eficientes e baratos. Obrigado e Parabéns as empresas que estão investindo nessas novas tecnologias.

  • elieser david marques

    VANTAGENS DO HIDROGÊNIO COMO COMBUSTÍVEL Reduz consideravelmente a emissão de poluentes na atmosfera; • A célula combustível é 25% mais eficiente do que o motor à combustão interna; • Apresenta uma maior velocidade de combustão; • Quando produzido de fontes e tecnologias renováveis, como hidráulica, solar ou eólica, torna-se um combustível renovável; • O processo de produção é descentralizado; • Mesmo é obtido a partir de combustíveis emissores de poluentes, como a gasolina, a emissão de dióxido de carbono diminui, sendo reduzida em até 50%. V

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência