Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 07/07/2015 | 17h37

Audi comemora seu melhor semestre no Brasil

Marca assume liderança de vendas no segmento de carros premium

REDAÇÃO AB

A Audi conseguiu no último semestre superar seu próprio recorde de vendas no Brasil registrado no ano passado. De janeiro a junho foram vendidos 7.796 carros da marca no País, o que representou crescimento de expressivos 27% em relação ao mesmo período de 2014. Com o resultado, a Audi mantém a liderança conquistada em 2015 do segmento de veículos premium no mercado brasileiro, saltando à frente das rivais também alemãs BMW e Mercedes-Benz. Os Audi mais procurados são o Q3 2.0 e o A3 Sedan 1.4, que ficaram na lista dos três modelos premium mais comprados nos primeiros seis meses do ano, na primeira e terceira colocações, respectivamente.

“O crescimento da Audi no primeiro semestre é bastante acima da média do próprio segmento de luxo. Estamos trazendo clientes de outras marcas para o setor premium e, com isso, impulsionando o desenvolvimento do próprio setor. Isso se deve à nossa estratégia acertada de lançar versões de entrada nas nossas linhas de produto, oferecer preços competitivos, investir em nosso pós-vendas e inaugurar novos pontos de venda em todo o País”, destacou em nota Jörg Hofmann, presidente da Audi do Brasil.

O executivo também credita os resultados positivos ao potencial de crescimento do segmento premium no País, que cresceu 16% no primeiro semestre, mas representa hoje menos de 2% do mercado total, porcentual ainda baixo se comparado à Europa, onde esse mercado equivale a 20%. “Acreditamos que este segmento irá triplicar até 2020 por aqui, por isso traçamos uma estratégia de longo prazo que vem se mostrando efetiva. Apesar do momento desafiador da economia, especialmente do setor automotivo, seguiremos com os planos de investimentos e em poucos meses estaremos fabricando em território nacional o primeiro carro da Audi com motorização flex no mundo”, acrescentou Hofmann. O A3 Sedan começa a ser montado a partir de setembro em São José dos Pinhais (PR), em linha compartilhada com a Volkswagen.

Além do investimento de quase R$ 500 milhões na linha de produção paranaense, a Audi aporta atualmente R$ 12 milhões em dois anos para aprimorar seu pós-vendas no Brasil, com a recente inauguração do Centro de Treinamento e Competência e a expansão do Centro de Distribuição e Peças, em Jundiaí (SP), que na sua primeira fase de ampliação já concluída teve a capacidade de armazenamento aumentada em 117%.

Com a expansão da rede, a Audi fechará 2015 com 50 lojas em todo o Brasil. Recentemente foi inaugurada a décima concessionária no Estado de São Paulo e está nos planos ter presença em todos os estados do Nordeste.



Tags: Audi, mercado, resultado, vendas, premium.

Comentários

  • MARCILENE C. AZEVEDO

    A AUDI ESTÁ NO SEU MELHOR MOMENTO, INDO NA CONTRA MÃO DA CRISE ATUAL QUE ESTAMOS PASSANDO. ISTO SE DEVE AO PRESIDENTE DA AUDI DO BRASIL SR JORG HOFMANN. PARABÉNS E QUE CONTINUEMOS ASSIM. At MARCILENE CURCIA DE AZEVEDO - EXECUTIVA DE VENDAS - AUDI CENTER TATUAPÉ

  • Carlos Michel

    A equipe de vendas da Audi Center Belo Horizonte não medira esforços para ajudar a Audi do Brasil a atingir seus objetivos, que neste ano torna-se um desafio ainda maior devido ao cenário atual do Brasil. Sr. Jorg Hofmann pode contar com o nossa garra e vontade para atingir-mos nossas metas. Carlos Michel - consultor de vendas da Audi Center BH

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência