Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Trabalho | 01/07/2015 | 18h20

Metalúrgicos paralisam produção na Mitsubishi

Sindicato de Catalão protesta contra cerca de 200 demissões feitas pela montadora

MÁRIO CURCIO, AB

Os trabalhadores da Mitsubishi realizaram uma paralisação na quarta-feira, 1º, em protesto contra as demissões feitas na fábrica de Catalão (GO). A manifestação ocorreu em razão de cerca de 200 cortes feitos na unidade. Desse total, 29 teriam aderido ao Plano de Demissão Voluntária (PDV) aberto na semana anterior.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Catalão (Simecat), os trabalhadores se queixam de “cortes arbitrários e sem critério”, como a demissão de um casal. Ainda de acordo com o sindicato, a Mitsubishi alega a necessidade de fechamento de 400 postos de trabalho em decorrência da queda nas vendas de veículos. O sindicato teria apresentado alternativas como dayoff, layoff, férias coletivas e diminuição de jornada com redução de salário, todas recusadas pela fabricante.

Procurada, a Mitsubishi reconheceu a ocorrência da paralisação pela manhã e informa que parte dos trabalhadores voltou à fábrica à tarde. O sindicato confirma o fato de não ter impedido que ninguém voltasse ao trabalho.

Na manhã da quinta-feira o Simecat realiza assembleia com os metalúrgicos para levar propostas obtidas a partir de uma reunião ocorrida na tarde do dia 1º entre o procurador do Ministério Público do Trabalho (MPT), a Mitsubishi e os líderes sindicais. O resultado dessa assembleia pode pôr fim à paralisação ou dar início a uma greve. A Mitsubishi tem cerca de 3 mil funcionários em Catalão.



Tags: Mitsubishi, Catalão, Metalúrgicos, PDV, Simecat, dayoff, layoff, MPT.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência