Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Legislação | 17/06/2015 | 19h36

Contran adia mais uma vez obrigatoriedade de chips de identificação

Início da instalação do Siniav nos carros ocorrerá em 1º de janeiro de 2016

REDAÇÃO AB

Texto atualizado no dia 18 de junho, às 11h57

O Conselho Nacional de Trânsito – Contran – decidiu em reunião na tarde da quarta-feira, 17, prorrogar para 1º de janeiro de 2016 o início do emplacamento eletrônico pelo Sistema Nacional de Identificação Automática de Veículos (Siniav) para que veículos nacionais e importados possam instalar a “tag Siniav”, mais conhecida como chip de identificação, que deve ser colocado no para-brisa com as informações cadastrais do veículo. Segundo comunicado divulgado na noite de quarta-feira, 17, pelo Ministério das Cidades, com o qual o Contran é vinculado, a instalação do sistema obedecerá a um cronograma a ser estabelecido e que também vai vigorar a partir de 1º de janeiro do próximo ano.

A instituição aponta que o dispositivo ajudará na fiscalização e repressão ao furto e roubo dos veículos de passageiros e também de cargas no País. O sistema consiste na identificação dos modelos por radiofrequência, a partir de um dispositivo eletrônico instalado no veículo, que conta com estrutura estabelecida com antenas leitoras, centrais de processamento e sistemas informatizados de monitoramento.

O prazo para instalação do Siniav já foi adiado várias vezes. O chip começaria a ser implementado inicialmente em 2011, data que mudou para 2012. Nessa época houve novo cancelamento e ficou estabelecido que o prazo seria 30 de junho de 2015.



Tags: Siniav, chip, Contran, identificação, monitoramento.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência