Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Peugeot reforça estratégia com linha 2016 do 208

Lançamentos | 10/06/2015 | 18h28

Peugeot reforça estratégia com linha 2016 do 208

Líder de vendas da marca mantém preços e ganha mais equipamentos

PEDRO KUTNEY, AB

Após lançar há dois meses o SUV compacto 2008 no Brasil (leia aqui), a Peugeot dá agora o segundo passo de sua estratégia de reposicionamento da marca com a apresentação da linha 2016 de seu líder de vendas, o hatchback 208. Os preços foram mantidos e foi ampliado o pacote de equipamentos de série de todas as três versões do modelo. “Nosso objetivo é reposicionar este ano toda nossa gama de produtos. Eliminamos as opções de entrada para manter o portfólio em patamar mais alto de qualidade e sofisticação. Começamos fazendo isso com a introdução do 2008 e agora fazemos essas mudanças no 208, para manter coerência com o resto da linha”, explica Miguel Figari, diretor geral da Peugeot do Brasil.

Com a estratégia de aumentar o ticket de entrada da marca, desde o ano passado a Peugeot só compete na faixa acima dos R$ 45 mil. O preço maior, aliado à reestruturação da rede de distribuição que fechou muitas concessionárias para abrir outras, provocou o desabamento das vendas. O tombo foi de quase 46% no acumulado de janeiro a maio deste ano em relação ao mesmo intervalo de 2014 e a participação de mercado caiu de já exíguo 1,5% para 1%, fazendo a Peugeot estacionar na 12ª posição dos ranking nacional das marcas mais vendidas. “No plano que fizemos isso já era esperado. Tiramos o 207 de linha e eliminamos versões de entrada, fechamos concessionárias, isso fez os volumes caírem. Mas devemos crescer a partir de agora. O objetivo é dobrar o market share que tínhamos até abril, de 0,8% para 1,6% até o fim de 2015”, destaca Figari. “Ampliamos a oferta quando lançamos o 2008, que não canibaliza o 208, por isso acreditamos que podemos ter o dobro de participação.”

Figari afirma que a estratégia é manter e melhorar a oferta da marca nos segmentos onde ela é forte. “Independentemente de que no Brasil o segmento de valor em torno de R$ 30 mil seja muito grande, temos de competir onde podemos concorrer com força. Não temos modelos de R$ 30 mil e nem de R$ 40 mil, não fabricamos carros 1.0. Mas entre R$ 55 e R$ 65 mil nossa participação é cinco vezes maior do que outras marcas. Agora, com o 208 mais bem equipado do que os concorrentes, deveremos melhorar o desempenho na faixa a partir de R$ 45 mil”, estima o executivo.

MAIS COMPLETO

O 208, que representa mais da metade das vendas da Peugeot no País, terá importância fundamental para atingir o objetivo. Com o incremento no pacote de equipamentos que o carro recebeu a partir de agora, a estimativa é que os emplacamentos do modelo aumentem 30%, de algo como mil unidades/mês atualmente para 1,3 mil, já considerando o ritmo de retração que o mercado vem demonstrando. De janeiro a maio foram emplacados 6,8 mil 208, número que representa queda de 33% sobre igual período de 2014.

O carro vem de fato bastante completo e praticamente não há opcionais. Os únicos extras são as pinturas metálicas ou perolizadas e, somente no caso da versão mais barata Active 1.5, a central multimídia com navegação e conexão com smartphone Peugeot MyLink pode ser adquirida separadamente, pois nas demais opções o item já está incluído no preço. “O carro foi reequipado para ser a melhor compra de seu segmento. Temos agora o modelo mais bem equipado em todas as suas faixas de preço”, afirma Frederico Bataglia, diretor de marketing da Peugeot.

Com essa estratégia, a Peugeot calcula que a linha 2016 do 208 ficou, dependendo da versão, de 4% a 10% mais barata que os principais concorrentes na mesma faixa de mercado, que segundo a empresa são Ford Fiesta, Fiat Punto, Citroën C3, Hyundai HB20, Chevrolet Onix, Volkswagen Fox e Honda Fit, todos com motorização acima de 1 litro. A Peugeot também fez o cálculo aproximado, levando em conta a percepção do consumidor, de quanto em valor acrescentou ao 208, que varia de R$ 900 (Active 1.5) a R$ 4.800 (Allure 1.6 automático), sem no entanto elevar o preço final, que permanece igual ao da linha 2015.

A Peugeot está confiante nas mudanças e vai relançar a campanha em que paga um valor para quem fizer o test drive do 208 e, depois disso, optar por comprar outro modelo concorrente da mesma faixa de preços. A ação chamada Desafio Peugeot já foi feita timidamente em 2014, quando prometia pagar R$ 300 aos clientes que optassem pela concorrência. Agora a campanha será retomada e o valor foi aumentado para R$ 500.

Além do pacote de ar-condicionado, direção elétrica e sistema de som que já era de série em todas as versões do 208 desde o lançamento em 2013, a linha 2016 da versão mais barata, a Active 1.5, agora passa a contar também com faróis de neblina, alarme, acionamento elétrico dos retrovisores e vidros das quatro portas (antes só as dianteiras tinham). O opção imediatamente acima, Active Pack 1.5, já inclui o sistema multimídia com navegador GPS e conexão com smartphone Peugeot MyLink, além de volante revestido em couro, ar-condicionado eletrônico bizone e quatro airbags (além dos dois frontais obrigatórios por lei, também traz mais dois laterais dianteiros).

A versão intermediária Allure 1.5 ganhou de série o piloto automático e sensor de estacionamento traseiro. A Allure 1.6 com câmbio automático também inclui teto de vidro panorâmico. No topo de gama, o 208 Griffe 1.6 manual ou automático agora tem sensor de estacionamento dianteiro (além do traseiro) e airbags cortina, somando seis ao todo.

Com os incrementos de equipamentos, a Peugeot avalia que haverá mudanças no mix de vendas da gama do 208. A versão topo de linha Griffe, que representava 30% dos emplacamentos, deve cair para 20%. A expectativa é de troca de posição com a intermediária Allure, que passaria de 20% para 30%. Os 50% restantes continuam concentrados nas opções mais baratas Active e Active Pack.

- Veja os preços da linha 2016 do Peugeot 208:

• Active 1.5: R$ 45.990
• Active Pack 1.5: R$ 49.990
• Allure 1.5: 53.290
• Allure 1.6 automático: R$ 57.390
• Griffe 1.6: R$ 59.190
• Griffe 1.6 automático: R$ 62.890

PRÓXIMO PASSO

O terceiro passo da estratégia de reposicionamento da marca deverá ser o lançamento dos novos 308 e 408 produzidos na Argentina, que devem chegar ao mercado brasileiro no segundo semestre. Os dois modelos vão passar por reestilização, mas não serão fabricados sobre a nova plataforma do 308 lançada na Europa. “O modelo europeu será importado, ganhará algum sobrenome, e vai conviver com a geração anterior do carro, assim o cliente poderá escolher o que quer”, conta Figari. “É uma estratégia oposta da aplicada quando a Peugeot lançou aqui o 207 diferente do francês, que era maior e nem chegou a ser vendido no mercado brasileiro”, acrescenta.



Tags: Peugeot, 208, estratégia, lançamento, marketing, vendas.

Comentários

  • Carlos Eduardo Zukoski Remor

    Tenho um Peugeot 2008 Griffe Automático, modelo 2016. A central multimedia, conforme descrito a seguir é uma enganação, pois na Europa vem completíssima enquanto aqui tem de pagar R$ 4800,00 reais para ter os mesmos recursos, como espelhamento de telephone, por exemplo. "O carro vem de fato bastante completo e praticamente não há opcionais. Os únicos extras são as pinturas metálicas ou perolizadas e, somente no caso da versão mais barata Active 1.5, a central multimídia com navegação e conexão com smartphone Peugeot MyLink pode ser adquirida separadamente, pois nas demais opções o item já está incluído no preço." Além disso, sinto-me enganado também pelo fato de comprar um carro com 3 anos de garantia e um mês depois a garantia ter passado para 6 anos, sem abranger o meu. O que o senhor Frederico Bataglia teria a dizer a respeito?

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência