Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Engenharia | 29/05/2015 | 18h28

Sindipeças e Poli-USP firmam parceria por inovação tecnológica

Programa de fomento introduzirá os projetos acadêmicos nas empresas

REDAÇÃO AB

O Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) e a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) assinaram um termo de cooperação com duração de cinco anos – até 2020 – que prevê a promoção de programas de fomento para projetos de inovação tecnológica, elaborados por pesquisadores da Poli-USP, em parceria com as empresas associadas à entidade.

A universidade também oferecerá programas de educação continuada para os profissionais de autopeças, nos graus de especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado.

“Nosso objetivo é contribuir para que a indústria brasileira de autopeças desenvolva novas tecnologias e amplie sua atuação no contexto global, como também no mercado interno, considerando as oportunidades de avanço dos índices de nacionalização dos veículos produzidos no País”, diz o professor Paulo Kaminski, coordenador do convênio e integrante do Centro de Engenharia Automotiva (CEA) da Poli-USP.

Para Sergio Pin, conselheiro do Sindipeças responsável pela área de tecnologia e inovação, o conhecimento acadêmico deve ser colocado em prática pela indústria: “Uma das frentes de trabalho de nossa entidade é justamente mostrar caminhos de capacitação para nossos associados.”

A Escola Politécnica é a única instituição da América do Sul que oferece o ciclo completo de ensino superior com ênfase em engenharia automotiva, desde a graduação até o pós-doutorado.



Tags: Sindipeças, Poli-USP, Escola Politécnica, inovação tecnológica.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência