Automotive Business
  
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Lançamentos | 15/05/2015 | 01h05

Ténéré 250 agora é flex e sai por R$ 15.015

Além do motor, traseira e painel também tiveram mudanças importantes

MÁRIO CURCIO, AB

A Yamaha apresentou a versão 2016 da XT 250Z Ténéré, que tem como principal mudança a adoção da tecnologia flex. A moto chega por R$ 15.015, acréscimo de 7,3% sobre a linha 2015. Outras alterações importantes foram feitas na traseira, que recebeu uma lanterna horizontal com lente incolor e LEDs em vez de lâmpada. Como consequência, a iluminação da placa é feita por uma peça à parte.

As alças do garupa agora são maiores e feitas de alumínio em vez de aço. A capacidade de carga traseira passou de 4,7 para 7 quilos e a moto ganhou ainda um bagageiro, que apagou a impressão de que faltava alguma coisa ali atrás.

“Procuramos fazer mudanças que os clientes pediam”, afirma o gerente de marketing Ricardo Tedesco. Por causa da proposta fora de estrada da moto, a Yamaha adotou uma opção marrom parecida com a cor que se vê em alguns utilitários esportivos.

A fabricante também trocou o painel de instrumentos, que recebeu uma “Ecolamp”, que se acende quando o piloto conduz a moto de maneira econômica. Outro indicador, este com pontos luminosos, se acende quando a temperatura do motor está abaixo de cinco graus. “Esses pontos vão-se apagando à medida que a temperatura do motor sobe”, explica Tedesco.

O motor bicombustível é o mesmo lançado em 2012 na YS 250 Fazer. Produz 20,7 cavalos com gasolina e 20,9 cv com etanol. Como ocorre com 100% das motos flexíveis, ela não traz sistema auxiliar de partida a frio, nem com tanquinho nem sem ele. Por isso é preciso adicionar pelo menos dois litros de gasolina ao tanque de etanol nos dias mais frios.

Segundo a Yamaha, houve tratamento anticorrosivo para as válvulas, sedes de válvulas, cabeçote, bico injetor e foi aplicada uma nova bomba de combustível com filtro capaz de reter partículas menores. A proteção interna do tanque contra ferrugem não mudou e sua capacidade permanece em 16 litros.



Nova traseira tem lanterna horizontal com LEDs e iluminação de placa à parte, alças de alumínio para o garupa e bagageiro

Diferentemente do que ocorreu com a Fazer 250, em que as versões a gasolina e flex permaneceram juntas em linha desde 2012, a Ténéré 250 modelo 2016 só terá motor flex. Segundo o gerente de marketing, as duas opções para a Fazer faziam sentido pelo preço mais atraente da moto a gasolina e também pelas praças em que o preço alto do etanol não justificava a compra da moto flex.

A Ténéré tem freios a disco nas duas rodas e ainda não recebeu opção de ABS, situação que pode mudar até o fim do ano porque, a partir de 1º de janeiro de 2016, 10% das motos produzidas ou importadas terão de receber o sistema antitravamento (ABS) ou do tipo combinado (CBS), conforme a faixa de cilindrada (veja aqui). Por isso é provável que a Ténéré e outras Yamaha 250 recebam ao menos a opção de ABS, como ocorre com as Honda XRE 300 e CB 300R. “Teremos novidades mais para frente”, diz Tedesco sem revelar detalhes.



Tags: Yamaha, Ténéré 250, Fazer 250, Ricardo Tedesco, Ecolamp.

Comentários

  • Alejandro

    hola soy de Argentina y sueño con poder tener esta moto, me pregunto cuando yamaha podra traerla para este pais, mi segunda pregunta es si voy a Brasil y la compro puedo traerla al pais donde vivo? gracias saludos

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência