Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Randon vê lucro encolher 99% no 1º trimestre

Balanço | 13/05/2015 | 20h51

Randon vê lucro encolher 99% no 1º trimestre

Crise em veículos comerciais pesados reflete nos negócios da companhia

REDAÇÃO AB

A crise acentuada no segmento de veículos comerciais pesados acertou em cheio o desempenho das Empresas Randon no primeiro trimestre, grupo que viu seu lucro encolher 99,1% na comparação com igual período do ano passado: o valor passou de R$ 62,2 milhões há um ano para os atuais R$ 557 mil, informa em dados divulgados na quarta-feira, 13. Os dados consolidados refletem claramente a queda da produção de caminhões em mais de 36% e o tombo de 50% no segmento de implementos rodoviários, levando a companhia gaúcha a um faturamento líquido 28% menor no comparativo anual, para R$ 696,8 milhões.

O Ebitda consolidado atingiu R$ 51 milhões no primeiro trimestre, com margem de 7,3%, representando uma queda de 8,3 pontos porcentuais com relação ao três primeiros meses de 2014.

No faturamento bruto, fechado em R$ 994,7 milhões, houve queda de 31,6% sobre o valor registrado no primeiro trimestre do ano passado, quando a empresa faturou R$ 1,4 milhão. Neste ano, os ganhos do mercado interno despencaram, puxando o desempenho para baixo, com queda de 34%, para R$ 878,2 milhões, enquanto o mercado externo apresentou retração bem abaixo, de 7,4%, para R$ 116,4 milhões (ou US$ 39,7 milhões).

Em comunicado, a empresa reforça os fatores que adicionalmente contribuíram para os resultados, citando os quadros econômicos instáveis com retração dos investimentos, repercutindo, negativamente, em todos os setores da economia. Além disso, a Randon argumenta que o aumento da inflação, queda no PIB, aumento da carga tributária e das taxas de juros também pesaram no cenário negativo. Para se adequar à baixa demanda, a empresa optou por reduzir sua estrutura, aprovou paradas programadas e mantém processo de redução das jornadas de suas fábricas entre abril a junho, além das iniciativas de redução de custo.

“Para este ano, estamos enfrentando com coragem os novos desafios que surgem, em meio ao cenário de incertezas, sabendo que fica cada vez mais evidente que é preciso prosseguir na busca pela eficiência operacional ajustando-se à conjuntura”, disse o diretor financeiro e de relações com investidores, Geraldo Santa Catharina, que analisa com cautela os possíveis sinais de melhora de mercado tanto no nível de confiança e, em decorrência, nos negócios.

Por segmentos de atuação do grupo, a produção de implementos rodoviários ficou 50% menor no trimestre, para pouco mais de 7,5 mil unidades, volume que conferiu participação de 23,9% da Randon neste mercado, 1,7 ponto porcentual abaixo do market share verificado há um ano. Sem revelar o volume, a empresa confirma que há acúmulo de estoque, apesar da diminuição da produção e adequação do número de funcionários.

Sem citar números do setor de autopeças, a companhia ressalta que suas empresas adotaram o plano denominado Field Force, que envolve ações de diluição de custos e incremento das sinergias a fim de expandir sua participação no mercado de reposição. Vale lembrar que a Fras-le, fabricante de componentes de fricção das Empresas Randon, elevou seu lucro líquido a partir da estratégia de corte de custos e foco nas operações do exterior (leia aqui).

Por sua vez, as exportações totalizaram US$ 39,7 milhões, queda de 25% com relação ao mesmo trimestre de 2014, representando 16,7% do faturamento líquido contra 13% no mesmo período de 2014, aumentando consideravelmente sua importância dentro dos resultados da empresa diante de um mercado interno fragilizado. Nas operações instaladas no exterior, a receita bruta total ficou em US$ 33,2 milhões contra os U$ 27,1 milhões registrados há um ano. Somadas, as exportações e as receitas geradas pelas unidades no exterior alcançaram no U$ 72,9 milhões no trimestre contra U$ 80,1 milhões de iguais meses do ano passado.

Na contramão, o segmento de vagões se mantém nos trilhos do crescimento: a Randon já contabiliza a carteira formada para 2015. Durante o primeiro trimestre, foram produzidas 404 unidades, 31% a mais do que no início do ano passado. O avanço nas vendas e diferenciação no mix de produtos para os próximos trimestres devem aumentar a participação deste segmento nas receitas.

Para este ano, a Randon divulga ao mercado financeiro suas projeções, estimando faturamento bruto total de R$ 4,4 bilhões, com receita líquida consolidada em R$ 3,2 bilhões. Os investimentos previstos não devem passar de R$ 120 milhões. Já a receita no exterior deve chegar a US$ 300 milhões, e importações, US$ 80 milhões.



Tags: Randon, balanço, lucro líquido, faturamento, receita, Ebitda, produção.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência