Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Indústria | 30/04/2015 | 19h58

Camex reduz imposto de importação para bens de capital

Investimentos chegarão a US$ 2 bilhões; 31,3% são do setor automotivo

REDAÇÃO AB

A Camex – Câmara de Comércio Exterior – vinculada ao MDIC, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, concedeu mais um conjunto de redução do imposto de importação de bens de capital, os ex-tarifários, por meio das Resoluções Camex nº 29 e 30/2015, publicadas na edição do Diário Oficial da União de quinta-feira, 30. O patamar da alíquota de 14%, em sua maioria, cai para 2% até 31 de dezembro de 2016 para 177 máquinas e equipamentos, dos quais 158 são novos pedidos de reduções e 19 são renovações.

O órgão informa que esta nova redução do imposto de importação incentivará investimentos globais de pouco mais de US$ 2 bilhões, com a compra de US$ 186 milhões em compras de equipamentos. Deste total, o setor automotivo será responsável pelo segundo maior valor, equivalente a 31,35%, atrás apenas de construção civil, com 46,38%, além de autopeças, que aparecem com 1,68% dos investimentos.

A Camex informa que o investimento da indústria automotiva contemplará o aumento da capacidade produtiva de motores em Minas Gerais e o fornecimento de equipamentos de linha de produção para a fabricação de peças de estamparia para carrocerias de veículos em uma unidade do Paraná, sem citar as montadoras.

Outros setores beneficiados são energia (5,40%), siderúrgico (1,43%), outros bens de capital (2,40%), madeira e móveis (1,11%) e outros (3,26%), além de bens de informática e telecomunicações sem produção no Brasil. Estes investimentos serão aplicados em uma nova unidade industrial para a produção de amônia e de CO2, em Minas Gerais, na construção de uma fábrica de processamento de milho para a produção de etanol, em Goiás; na implantação de unidade para a produção de pallets, a partir da madeira de acácia negra, no Rio Grande do Sul e no aumento da produção de módulos fotovoltaicos para suprir o mercado interno e exportações, em São Paulo.

Segundo a Camex, a maior parte dos equipamentos importados virão da Alemanha (30,63%), seguida por Estados Unidos (26,32%), Itália (12,92%), Japão (9,45%), Áustria (4,53%), Holanda (3,22%), Taiwan (2,85%), Coreia do Sul (2,84%) e Espanha (1,65%).



Tags: Camex, imposto de importação, ex-tarifário, motores, estamparia.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência