Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Autopeças | 27/04/2015 | 18h45

Pneus têm pior trimestre de vendas a montadoras da história

Fornecimento caiu 20,7% em relação a 2014; exportações caíram 15,6%

REDAÇÃO AB

O primeiro trimestre de 2015 foi nebuloso para as empresas associadas à Anip, Associação Nacional da Indústria de Pneus, que registraram queda de 20,7% no fornecimento às montadoras em relação ao mesmo período do ano anterior, de 5 milhões para 4 milhões de unidades. A retração é consequência direta do recuo de 16,2% na produção de veículos nos três primeiros meses deste ano sobre 2014, segundo dados da Anfavea. As exportações também caíram, mas a produção registrou leve alta.

Alberto Mayer, presidente executivo da Anip, vê o começo de 2015 como alarmante para a indústria brasileira de pneus, especialmente no fornecimento ao setor de caminhões e ônibus, que chegou a ter queda de 41,8%. “Tivemos uma série de fatores negativos desde o fim de 2014 que continuaram este ano e afetam todas as categorias de montadoras às quais nossos associados fornecem”, afirma o executivo.

As vendas de pneus para caminhonetes caíram 21,1% sobre 2014, as de veículos de passeio encolheram 17,2%, duas rodas declinaram 17,3%, o setor agrícola diminuiu em 15,2%, OTR registrou baixa de 45,9%, mesma queda do setor industrial.

As exportações do setor a partir do Brasil também foram afetadas, com 15,6% menos unidades embarcadas em relação ao primeiro trimestre de 2014, descendo de 3,4 milhões para 2,9 milhões. “Os números comprovam a contínua perda de competitividade da indústria pneumática nacional, mesmo com a desvalorização cambial. Países onde a vantagem logística poderia compensar, como Argentina e Venezuela, enfrentam problemas que levaram a redução de importações”, lamenta Mayer.

O único resultado positivo está no mercado de reposição de pneus, com a queda na venda de veículos novos. O crescimento total foi de 10,1% nas vendas do trimestre ante 2014, sendo que a única queda foi de pneus de carga, de 6%.

Na soma dos mercados de montadoras, exportação e reposição, o fornecimento das associadas à Anip por categoria apresentou os seguintes resultados:

Carga: -17,6% (2,3 milhões para 1,9 milhões);
Camioneta: -7,4% (2,5 milhões para 2,3 milhões);
Passeio: +2,7% (9,3 milhões para 9,5 milhões);
Duas rodas: -3,7% (4,1 milhões para 4 milhões);
Agrícola: -7,9% (226 mil para 208 mil);
OTR: -13,5% (40 mil para 34 mil);
Industrial: +3,2% (569 mil para 587 mil) .

A produção total de pneus no primeiro trimestre deste ano registrou alta discreta, de 2,6%, passando de 18 milhões de pneus em 2014 para 18,5 milhões em 2015. “Em meio à atual conjuntura adversa no mercado consumidor, algumas empresas de nosso setor fizeram layoff ou férias coletivas para evitar dispensa de colaboradores”, enfatiza o presidente executivo da Anip.



Tags: Pneus, Anip, 20, 7%, Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos, Pneumáticos, Alberto Mayer, Anfavea.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência