Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Tecnologia | 27/04/2015 | 12h03

Elastoskin traz ganho em tempo de produção

Processo permite criação de assentos e componentes para a indústria automotiva

MÁRIO CURCIO, AB

A Basf criou um processo de produção de assentos e itens de acabamento que tem como vantagem o menor tempo de fabricação quando comparado a outros convencionais. Chamado Elastoskin, o método já foi aplicado em componentes de automóveis Buick, Brilliance, Chrysler, Nissan, Honda, Toyota e modelos da General Motors.

No Brasil ainda não há a aplicação da tecnologia, que pode beneficiar também os fabricantes de motos: “O ganho de processo é visível e quantitativo ao comparar, principalmente, o tempo de fabricação de um banco pelo processo convencional e pelo Elastoskin”, afirma o coordenador de negócios da Basf, Wander Pascini.

No método convencional, uma peça de espuma de poliuretano tem de ser recoberta por uma capa, que tem de ser recortada e em regra é fixada por grampos. “No processo que utiliza o Elastoskin, primeiro é injetada a camada de revestimento em poliuretano e, logo depois é injetada a espuma de poliuretanos do banco”, explica Pascini. “O Elastoskin tem aplicação também nas peças de trim (laterais de portas e painéis de veículos), apresentando acabamento e aspecto como madeira e couro”, diz.

A Basf fornece os componentes para a produção do poliuretano que, por processo de mistura, formam a espuma do banco e o revestimento. O equipamento necessário para a fusão dos componentes tem atualmente dois fabricantes, Krauss-Maffei e Frimo Group.

A utilização do processo permite o emprego de mais de uma cor na superfície e diferentes texturas. Num banco de moto convencional, isso implicaria costurar dois tecidos distintos - emendas desse tipo facilitam a penetração de água e podem criar pontos frágeis, onde a capa tende a rasgar.

Outra vantagem do processo da Basf é poder criar superfícies cheias de detalhes em relevo. A utilização do Elastoskin também é apropriada para equipamentos náuticos.


Entre as vantagens do processo estão a utilização de texturas diferentes e a criação de detalhes em relevo



Tags: Basf, Elastoskin, motos, motocicletas, Buick, Brilliance, Chrysler, GM, Nissan, Honda e Toyota.

Comentários

  • Dionatan Bressan

    Olá, o processo já existe no Brasil, em parceria com a Basf a Espumatec Injetados e Poliuretano já produz peças destinada a revestimentos internos.

  • Vanderley Carvalho

    Boa Noite, É possível mais informações quanto a fabricação, aquisição de maqúinas e demais pertinentes a todo ao processo possível. Obrigado.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência