Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Metalúrgicos da Chery paralisam fábrica de Jacareí
Trabalhadores da Chery fazem passeata ao redor de fábrica em Jacareí (SP)

Trabalho | 24/03/2015 | 17h48

Metalúrgicos da Chery paralisam fábrica de Jacareí

Sindicato quer convenção coletiva; nova reunião será na quarta-feira, 25

REDAÇÃO AB

Os trabalhadores da Chery paralisaram a linha de montagem da fábrica de Jacareí (SP) na manhã de terça-feira, 24, pelo período de duas horas e meia como meio de reivindicar que a empresa assine a convenção coletiva da categoria. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, os salários dos funcionários estão abaixo dos praticados pelas montadoras da região. A unidade monta o Celer nas versões hatch e sedã e deve fabricar o novo QQ ainda neste semestre.

Ainda de acordo com o sindicato, no último dia 6, os metalúrgicos da Acteco, fábrica de motores da Chery, realizaram uma paralisação de 24 horas para reivindicar a assinatura da convenção coletiva. Assim como o sindicato, a Chery confirmou a reunião entre seus representantes marcada para quarta-feira, 25, pela manhã, a fim de chegar a uma definição nas negociações.

Em comunicado, o sindicato informa que reivindicará outras mudanças relacionadas às condições de trabalho dentro da unidade: “As atividades de funilaria são feitas de forma braçal, sem equipamentos adequados, desrespeitando as normas de segurança; além de denúncias de péssima qualidade na alimentação”, diz a nota. O sindicato acrescentou que condena a terceirização do setor de manuseio, argumentando que a medida infringe a própria CLT, que veta a terceirização nas "tividades-fim" dentro de uma companhia.

“A Chery está pensando que o Brasil é a China. A montadora já está em pleno funcionamento, faturando alto no País e recebendo diversos tipos de incentivos fiscais dos governos, portanto não existem motivos para continuar com salários e direitos inferiores aos que são praticados na categoria. Ou a empresa muda sua postura ou haverá greve”, afirma o presidente do sindicato, Antônio Ferreira de Barros, apelidado de Macapá.

Por sua vez, a Chery, também por meio de comunicado, reforça sua posição de que “segue rigorosamente a legislação brasileira desde o início de suas atividades no País, ainda como importadora, desde 2009”. A empresa informa que para apoiar as operações da fábrica de Jacareí, iniciadas em agosto do ano passado, formou uma equipe de profissionais de saúde e segurança do trabalho para assegurar as condições e ambiente adequados de trabalho, de acordo com as exigências legais.

“A Chery reafirma seu compromisso de continuar contribuindo com o desenvolvimento da região do Vale do Paraíba, com a criação de mais 120 vagas de emprego no segundo semestre de 2015, além dos mais de 500 funcionários que fazem parte do quadro da montadora”, diz Luiz Curi, vice presidente da Chery Brasil.

A nota acrescenta que devido ao atual cenário econômico e de retração do mercado, a Chery está revisando para baixo sua expectativa de produção, de 30 mil para 25 mil veículos neste ano.

Finalizados os testes de fábrica, a produção comercial do Celer começou no início do mês passado, no dia 6 (leia aqui). O primeiro lote do Celer nacional deve chegar à rede de concessionárias em 6 de abril.



Tags: Chery, sindicato, metalúrgicos, paralisação, greve, Jacareí.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência