Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Legislação | 18/03/2015 | 16h42

Argentina e México definem novo acordo automotivo

Países prorrogam sistema de cotas de importação por mais 4 anos

REDAÇÃO AB

Começa a vigorar na quinta-feira, 19, o novo acordo automotivo entre Argentina e México para a importação de veículos e autopeças: os países optaram pela prorrogação do sistema de cotas por mais quatro anos, com valores escalonados a cada ano para os quais não incidirá a taxa de 35% de imposto de importação. Foram acordados US$ 575 milhões para o primeiro ano (2015), US$ 590 milhões para o segundo (2016), US$ 610 milhões para o terceiro (2017) até encerrar com US$ 640 milhões no último ano (2018), com o compromisso de retornar ao livre comércio em 19 de março de 2019.

O acordo define também que no caso dos veículos os países deverão manter o índice de conteúdo regional de 35% - como já era previsto no acordo anterior -, chegando a 40% em 2019.

Firmado na segunda-feira, 16, o convênio foi assinado pela ministra da Indústria da Argentina, Débora Giorgi, e pelo secretário de Economia do México, Ildefonso Guajardo, em Montevidéu (Uruguai) na sede da Aladi (Associação Latino-Americana de Integração), organização regional que rege o Acordo de Complementação Econômica 55 (ACE 55). Também participaram da assinatura Isela Costantinini, presidente da Adefa, associação das montadoras na Argentina, e Raúl Amil, presidente da associação que reúne os concessionários do país.

A definição pela continuação do sistema de cotas é resultado das reuniões entre os representantes realizadas nos dias 10 a 11 deste mês em Buenos Aires (leia aqui).



Tags: Acordo automotivo, cotas, Argentina, México, importações.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência