Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Legislação | 13/02/2015 | 14h24

México dá como certo livre comércio de veículos a partir de março

Em vigor desde 2012, país mantém sistema de cotas imposto por Brasil e Argentina

REDAÇÃO AB

O sistema de livre comércio de veículos do México para Brasil e Argentina voltará a vigorar em 15 de março. Pelo menos é o que assegura o secretário de Economia daquele país, Ildefonso Guajardo Villarreal: “Não há nenhuma expectativa. É um acordo assinado. Se cumprir o acordo, volta o livre comércio em 15 de março. É uma realidade firmada”, disse o secretário, durante uma conferência realizada na quarta-feira, 11.

Segundo o Portal Automotriz, Guajardo informou que na próxima segunda-feira, dia 16, se reunirá com representantes do governo argentino e na semana seguinte com os do governo brasileiro para abordar o assunto sobre o sistema de cotas imposto pelos dois países parceiros em 2012 e cujos prazos terminam no próximo mês.

“Como secretário da Economia do México, vou colocar sobre a mesa o que for necessário para que regressemos ao livre comércio”, enfatizou.

Ele também disse que em caso de não cumprimento do acordo, o México poderá recorrer à Associação Latino-Americana de Integração (Aladi), organização regional em que foi assinado o Acordo de Complementação Econômica 55 (ACE 55), sobre o livre comércio de automóveis entre os três países.

Por sua vez, o presidente da Amia, Eduardo Solis, observou: “As três associações – Amia (México), Anfavea (Brasil) e Adefa (Argentina) – concordaram em buscar seus respectivos governos para expressar nosso apoio ao ACE 55, para a reabertura do livre comércio”.

AS COTAS

Há exatos 3 anos, em fevereiro de 2012, após registrar déficit na balança comercial em favor do México, o Brasil revisou o acordo de livre comércio que mantinha com o país, impondo a medida de cotas de importação, para as quais não incidiriam o imposto de importação de 35%. Elas foram definidas com os valores de US$ 1,45 bilhão em 2012, US$ 1,56 bilhão em 2013 e US$ 1,64 bilhão em 2014 (leia aqui).

Pelo mesmo motivo, a Argentina definiu o sistema de cota também a partir de 2012, sendo o mesmo valor para os três anos seguintes. Os países haviam concordado com o limite de US$ 600 milhões em veículos provenientes do México com destino à Argentina, sem a incidência da tarifa de 35%, fixada pelo governo argentino naquele ano (leia aqui).



Tags: Importação, cotas, México, livre comércio.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência