Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Nova regra do Finame beneficia caminhões

Mercado | 05/02/2015 | 19h30

Nova regra do Finame beneficia caminhões

Taxa fixa do BNDES pode alavancar vendas ao longo do ano

VICTOR FRANÇOIS, AB

A Anfavea, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, vê com bons olhos as mudanças realizadas nas condições do Finame PSI, informadas na circular que o BNDES divulgou na quarta-feira, 4 (leia aqui). Segundo Marco Antonio Saltini, vice-presidente da associação, a criação das condições alternativas deve melhorar a disposição do cliente para tomar crédito, já que a linha oferece agora maior previsibilidade do valor das prestações. “Com taxa fixa de mercado, o cliente pode contratar a opção de financiamento sabendo exatamente quanto vai pagar nas parcelas”, comemorou o executivo.

- Veja aqui os dados da Anfavea.

Lançada no começo de 2015, o novo Finame PSI permitia o financiamento de até 70% do bem com juros que iam de 9,5% a 10% ao ano, dependendo do porte da empresa que toma o crédito. O valor restante, não coberto inicialmente pela linha subsidiada do BNDES, poderia ser dado pelo cliente como entrada ou financiado a uma taxa variável, indexada pela Selic. Dessa forma o valor das prestações sofreria alterações a cada mês, acompanhando os juros básicos da economia.

A partir de agora, o valor que era financiado a uma taxa variável poderá receber crédito do BNDES com juros fixados em 15,74% a.a. Apesar de inicialmente parecer cara, a condição garante estabilidade no valor das parcelas do financiamento, tornando a linha mais interessante para o cliente. Saltini acredita que isso pode estimular as vendas de caminhões. “Essa nova condição do BNDES permite ao cliente visualizar quanto vai pagar em cada parcela e no total”, explica Saltini.

RESULTADOS

O mês de janeiro representou aumento de 128% na produção de caminhões em comparação a dezembro de 2014, subindo de 3,7 mil para 8,4 mil. A alta aconteceu sobre base de comparação fraca, já que a maior parte das empresas interrompeu a produção e deu férias coletivas no último mês do ano passado. Sobre janeiro de 2014, quando foram feitos 13,8 mil unidades, houve queda de 38,7%.

Os licenciamentos registraram baixa de 28,8%, contabilizando 7,7 mil produtos em janeiro de 2015, ante os 10,8 mil de janeiro e 2014. Se o comparativo for do primeiro mês deste ano contra dezembro do ano passado a queda registrada é de 44%.

Segundo a Anfavea, apesar da melhora nas condições de crédito para a compra de caminhões, ainda não é possível fazer previsões para 2015, já que a conjuntura macroeconômica ainda não apresentou aquecimento. “Quando alcançarmos uma estabilidade total (dos indicadores econômicos) poderemos retomar as vendas e começar efetivamente o ano, já que em janeiro não houve uma solução”, concluiu Marco Antonio Saltini.

Assista à entrevista com Marco Antonio Saltini, vice-presidente da Anfavea:



Tags: Finame, PSI, Caminhões, BNDES, Saltini, Anfavea.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência