Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Toyota importa US$ 2,6 bilhões em 2014

Balanço | 22/01/2015 | 20h20

Toyota importa US$ 2,6 bilhões em 2014

Montadora foi a maior importadora do setor pelo segundo ano

PEDRO KUTNEY, AB

No ano em que o setor automotivo foi o maior importador do País (leia aqui), a Toyota manteve o título de maior importadora da indústria automotiva nacional, com compras no exterior de US$ 2,6 bilhões. O valor ficou ligeiramente acima (+1,4%) do registrado um ano antes, o que pode ser explicado pelo aumento de vendas da marca japonesa no mercado brasileiro, com a oferta de carros que têm grande volume de componentes importados, incluindo os motores. Esse desempenho coloca a Toyota na quinta posição entre as empresas que mais gastaram com importações no ano passado, segundo números divulgados esta semana pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério do Desenvolvimento (MDIC).

Na lista das 250 corporações instaladas no Brasil que mais compraram no exterior em 2014 figuram 18 fabricantes de veículos leves, caminhões e chassi de ônibus. De todas, somente a Toyota teve ligeiro crescimento das compras externas, mas também foi a única que observou avanço das exportações, que totalizaram US$ 900 milhões, em alta de 3,8%, provavelmente embaladas pelo início das vendas externas do Etios para países da América do Sul. Ainda assim, a montadora registrou em 2014 saldo negativo de US$ 1,7 bilhão em suas operações de comércio exterior, ficando apenas na 38ª colocação entre as maiores exportadoras.

As 18 montadoras listadas importaram o total de US$ 19,16 bilhões no ano passado. Se fossem uma só empresa, ficariam em segundo no ranking dos maiores importadores, atrás somente da Petrobras. Na mão inversa, as 18 exportaram US$ 9 bilhões e juntas ficariam em terceiro na tabela dos maiores exportadores, gerando déficit na balança comercial de US$ 10,1 bilhões.

Além da Toyota, duas outras montadoras fizeram importações acima de US$ 2 bilhões e quatro além de US$ 1 bilhão. Logo atrás da japonesa vem a Ford, que comprou no exterior US$ 2,36 bilhões, em leve baixa de 0,6% sobre 2013. Mas em 2014 a Ford tornou-se a maior exportadora do setor no País, com vendas de US$ 1,2 bilhão, que mesmo em expressiva baixa de 31,8% fizeram a montadora tomar o lugar que por décadas foi ocupado pela Volkswagen. Ambas foram as duas únicas da lista que exportaram mais de US$ 1 bilhão no ano.

As exportações da Volkswagen caíram ainda mais, 39,3%, para US$ 1,14 bilhão, fazendo a montadora descer para a segunda posição no ranking das maiores exportadoras do setor. A empresa também perdeu para a Ford uma posição nas importações, que declinaram 15,9% em 2014, para US$ 2,09 bilhões, em terceiro lugar na lista das18, gerando déficit de US$ 950 milhões.

Em quarto na tabela de maiores importadores vem a General Motors, mesmo com a baixa de 20,9% nas suas compras externas no ano, que somaram US$ 1,37 bilhão. As exportações da GM, contudo, registraram o maior tombo entre as 18 montadoras listadas, com queda de 52,1%, para US$ 810 milhões, finalizando o ano com saldo negativo da conta externa em US$ 560 milhões.

A única montadora que registrou saldo positivo em seu comércio exterior de 2014 foi a MAN, de US$ 110 milhões, resultado de importações de US$ 170 milhões (-6,8%) e exportações de US$ 280 milhões (-20,7%), ainda que apenas na posição 122 na lista das 250 maiores exportadoras do ano.

Veja na tabela abaixo a totalização do comércio exterior das 18 montadoras que mais importaram em 2014:

Comércio



Tags: Toyota, comércio exterior, montadoras, importações, exportações, balança comercial, resultado, setor automotivo.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência