Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Crédito | 25/11/2014 | 16h08

Anef vê tendência de melhora nos financiamentos

Bons resultados do terceiro trimestre devem permanecer no último do ano

REDAÇÃO AB

O volume de financiamentos de veículos leves realizados pelos bancos das montadoras cresceu 10,9% em setembro na comparação com agosto, incluindo comerciais leves, de acordo com os dados mais recentes da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef) e divulgados na terça-feira, 25. Apesar da queda de 8,9% dos licenciamentos de veículos novos no acumulado de nove meses, as vendas de usados avançaram 5,3% no mesmo período, o que pode ser um benefício no curto prazo para as financeiras.

“Este aumento foi motivado, entre outros fatores, pela liberação de compulsórios e pela diminuição da inadimplência, o que levou os bancos a financiarem veículos em condições mais favoráveis”, avalia Décio Carbonari, presidente da Anef, acrescentando que os resultados apontam tendência de melhora para o último trimestre do ano.

O total de recursos liberados para os financiamentos chegou a R$ 85,2 milhões, 0,7% a mais sobre o total registrado em setembro do ano passado. Destes, R$ 82,8 milhões foram destinados ao CDC, crédito direto ao consumidor, alta 0,9% na mesma base de comparação, enquanto para leasing, o valor diminuiu 6,3%, para R$ 2,39 milhões.

Citado por Carbonari como fator que contribui para a melhora do cenário, a inadimplência recuou dois pontos porcentuais em setembro sobre agosto, passando de 7,4% para 7,2%. Há um ano, os atrasos acima de noventa dias representavam 7,7%, aponta a Anef. Na carteira de financiamentos do CDC o índice fechou setembro em 4,4%, dois pontos porcentuais abaixo do registrado no mês anterior.

“A inadimplência tem caído nos últimos três anos. Algumas medidas tomadas como prazo menor e entrada maior acabaram por atrair clientes com perfil de menor risco de crédito”, lembra Carbonari.

Os bancos das montadoras praticaram taxa de juros pouco menor em setembro, depois de quatro meses por 1,41%, a média foi de 1,40%. Sobre prazos de pagamento, o plano máximo oferecido pelas montadoras continua em 60 meses, com média de 42 meses.

CONJUNTURA DO TRIMESTRE

Quando considerados os dados do terceiro trimestre, as vendas de automóveis e comerciais leves registraram aumento apenas na participação dos pagamentos à vista, que fecharam o período com 38%. Consórcios e leasing mantiveram fatias de 8% e 2% das vendas, respectivamente, enquanto o CDC desceu um ponto porcentual, para 52%, mantendo a preferência entre as modalidades.

Já para veículos comerciais, o Finame foi responsável por 71% das aquisições contra 77% em igual período de 2013. As vendas à vista subiram de 11% para 14%, o consórcio manteve fatia de 2%, CDC passou de 9% para 11% e o Leasing, de 1% para 2%. Entre as motos, as vendas no trimestre foram divididas em 33% à vista, 32% financiadas e 35% por meio do consórcio.



Tags: Crédito, Anef, financiamentos, CDC, leasing, Décio Carbonari.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência