Automotive Business
  
ABLive

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 23/10/2014 | 20h24

PSA Peugeot Citroën tem alta de 1,6% no faturamento do 3º trimestre

Resultado já é reflexo dos esforços do plano de recuperação, aponta CEO

REDAÇÃO AB

A PSA Peugeot Citroën começa a observar os primeiros efeitos de seu plano de recuperação para o período 2014-2018, anunciado este ano (leia aqui): o faturamento do grupo atingiu € 12,2 bilhões, crescimento de 1,6% no terceiro trimestre do ano, correspondente ao período entre julho e setembro, quando comparado com iguais meses do ano passado, informa em comunicado divulgado na quinta-feira, 23. O faturamento da divisão de automóveis apresentou pequeno recuo de 0,8% no período, para € 7,9 bilhões, o que não inclui os resultados das joint ventures na China. Com as parcerias do mercado chinês, a receita do grupo chega a € 9 bilhões.

Considerando as demais divisões, a Faurecia, de autopeças, viu seu faturamento subir 6,5% no último trimestre, para € 4,38 bilhões, enquanto o resultado do Banco PSA Finance recuou 2%, para €438 milhões.

Em nota, o CEO do Grupo PSA Peugeot Citroën, Carlos Tavares, comemorou os primeiros resultados do esforço da companhia: “Faço questão de agradecer aos funcionários do grupo por seu engajamento em nosso plano Back in the Race. Todos os instrumentos de alavancagem estão agora ativados e os primeiros resultados são visíveis. Mesmo assim, o caminho para a recuperação definitiva da PSA ainda é longo, nós devemos permanecer concentrados e manter de forma coletiva os nossos esforços”, declarou.

As vendas mundiais avançaram 5,5% no acumulado do ano, entre janeiro e setembro, contra mesmo intervalo de 2013, para 2,1 milhões de unidades, impulsionadas pelo desempenho vigoroso na Ásia, especialmente na China, onde os emplacamentos cresceram 32,9%, para 542,5 mil unidades. Na Europa, os licenciamentos das marcas Peugeot, Citroën e DS foram 10,4% maiores neste ano, ao totalizar 1,3 milhão de unidades.

Nas outras regiões, os volumes recuaram em claro efeito da forte retração nos mercados. Eurásia registrou queda acentuada de 38,6%, para 34,2 mil unidades; América Latina e África-Oriente registraram o mesmo índice de retração, 30,7%, para 154,2 mil e 120,6 mil unidades, respectivamente, enquanto na região Índia-Pacífico, as vendas diminuíram 6,2%, para 14,6 mil veículos.

PERSPECTIVAS

Em nota, o grupo informa que espera crescimento de 4% a 5% no mercado total de automóveis da Europa em 2014, além de um crescimento de até 10% na China. Por outro lado, espera retração perto de 10% na América Latina e queda de 15% na Rússia.

O grupo tem como objetivo alcançar um fluxo de caixa livre operacional positivo ao mais tardar em 2016, conforme o plano de recuperação e um fluxo de caixa livre operacional acumulado de € 2 bilhões no período 2016-2018. O Grupo PSA tem igualmente como objetivo atingir uma margem operacional de 2% em 2018 para a divisão de automóveis, com uma meta de 5% sobre o período do próximo plano de médio prazo correspondente a 2019-2023.



Tags: PSA Peugeot Citroën, faturamento, vendas globais, Carlos Tavares, Faurecia, Banco PSA.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência