Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Mercado | 29/09/2014 | 20h40

Deloitte: 83% dos brasileiros querem carro

Pesquisa da consultoria aponta que País tem alta intenção de compra

PEDRO KUTNEY, AB

Recente pesquisa da consultoria Deloitte aponta que o País tem um dos índices mais altos de intenção de compra de carros: 83% dos consumidores brasileiros pretendem comprar um veículo nos próximos cinco anos. O levantamento global com 23 mil consumidores (2 mil aqui) de 19 países mostra que nos mercados emergentes vivem as pessoas mais propensas à compra de automóveis novos: à frente do Brasil, 92% querem um na Índia e 90% na China, enquanto o porcentual baixa para 80% nos Estados Unidos, 76% na Alemanha e 43% no Japão.

A pesquisa com recorte de seis países selecionados foi apresentada durante o II Fórum de Marketing Automotivo, realizado por Automotive Business esta segunda-feira, 29, em São Paulo. Maurício Muramoto, diretor da Deloitte, mostrou os principais indicadores do levantamento. “O resultado revela mais a intenção do que uma decisão de compra, que normalmente é afetada por questões como custo e renda. O preço alto é o maior impeditivo, veículos mais baratos são os maiores motivadores”, destacou.

Na hora de comprar um carro, no Brasil, assim como nos Estados Unidos, a principal preocupação dos consumidores é o custo de aquisição e manutenção, enquanto no Japão a principal questão é onde parar o veículo, já que no país os compradores precisam comprovar que têm um local de estacionamento.

Os brasileiros mostram fidelidade pelo veículo próprio: 56% amam seus carros e apenas um quinto abririam mão de se locomover com eles se tivessem que pagar mais por isso. Da chamada geração Y, das pessoas nascidas após os anos 1980, 64% esperam dirigir um automóvel com propulsão alternativa e 70% aceitariam pagar mais por isso, mas quando se adiciona um custo de US$ 2 mil, apenas 43 manteriam essa escolha. Desses, 23% esperam rodar e um híbrido, 12% em um híbrido plug-in (que pode ser recarregado na tomada), 11% a gás natural, 10% em elétricos com célula de hidrogênio, mas não houve citação sobre os 100% elétricos a bateria. “Existe aqui mais o desejo de economia de combustível e redução de despesas do que preocupação ecológica, pois o custo é um impeditivo no Brasil”, lembra Muramoto.

A pesquisa da Deloitte revela ainda que 72% dos brasileiros relacionam a maior inclusão de tecnologia aos veículos com o aumento da segurança, outra preocupação detectada, enquanto 52% esperam que a tecnologia traga mais conforto a bordo.

Sobre o processo de compra, 40% dos brasileiros pesquisam mais de 10 horas e 88% consideram mais de três marcas diferentes antes de ir a uma concessionária. Pela ordem, na hora de comprar um carro as pessoas confiam mais em indicações de amigos e familiares, em segundo lugar vem a mídia (jornais, revistas, internet), em terceiro os sites dos fabricantes e nas últimas posições estão as redes sociais e os vendedores.



Tags: Marketing Automotivo, II Fórum, Automotive Business, Deloitte, pesquisa, mercado, carro, venda, compra.

Comentários

  • Fulvio Massaro

    Esse estudo esta furado ou mal publicado, não reflete a realidade no chão de loja onde 90% do clientes pesquisam na internet antes de ir ao showroom do concessionário.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência