Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Energia | 25/08/2014 | 15h39

Honda já recebe peças de seu parque eólico

Aerogeradores vão abastecer a fábrica de automóveis em Sumaré (SP)

REDAÇÃO AB

Os equipamentos dos aerogeradores do parque eólico que a Honda constrói na cidade de Xangri-lá, no Rio Grande do Sul, já começaram a chegar ao terreno onde serão erguidos. Os itens vêm dos Estados Unidos, China e Dinamarca. As peças chegaram pelo Porto de Imbituba, em Santa Catarina, onde foram descarregadas e organizadas para o transporte rodoviário.

A Honda investe R$ 100 milhões neste parque eólico, formado por nove aerogeradores de três Megawatts cada. Ele será conectado ao Sistema Interligado Nacional (SIN) e produzirá 95 mil Megawatts por ano, suficientes para abastecer uma cidade de 35 mil habitantes. Essa eletricidade suprirá a fábrica de automóveis de Sumaré (SP), onde são montados atualmente os modelos Fit, City e Civic.

A fabricante de automóveis pretende erguer outro parque semelhante para a suprir sua futura fábrica de Itirapina (SP), cuja produção começará no fim de 2015. A montagem das torres dos aerogeradores se inicia neste mês e o parque começará a gerar energia elétrica neste segundo semestre. A Honda é a primeira fábrica de automóveis instalada no Brasil a construir um parque eólico.



Tags: Honda, Xangri-lá, Sistema Interligado Nacional, aerogeradores, Fit, City, Civic.

Comentários

  • Gilson

    Gostaria de saber quando a Honda vai produzir no Brasil o CRV. Será em Itirapina?

  • Fábio Lima

    Ótimo exemplo da Honda, parabéns...

  • Fabio

    Honda, sempre compromissada com o meio ambiente!Espero que outras empresas copiem ideias de sustentabilidade, preservando o nosso meio ambiente.

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência