Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias
Classe C: clássico ganhou rebeldia
Mercedes-Benz espera vender 2,5 mil unidades do novo Classe C até o fim deste ano (Fotos: Malagrine).

Lançamentos | 13/08/2014 | 18h40

Classe C: clássico ganhou rebeldia

Sedã da Mercedes teve mudanças na carroceria, design e motorização

CAMILA FRANCO, AB

“O clássico ganhou um toque de rebeldia”. Este é o slogan da campanha publicitária do novo Mercedes-Benz Classe C, que chega às concessionárias este mês, com quatro novas versões - C180 Avantgarde, C180 Exclusive, C200 Avantgarde e C250 Sport - e preços que variam de R$ 138,9 mil até R$ 189,9 mil (veja aqui o conteúdo de cada uma delas).

De fato, a frase tem tudo a ver com a quinta geração do modelo, o mais vendido pela marca no Brasil e no mundo e que se tornou um clássico desde a década de 1980. A rebeldia pode ser notada pelo design mais irreverente, tanto no exterior quanto no interior, e também pela motorização, recalibrada para entregar desempenho muito mais esportivo.

Philipp Schiemer, presidente da Mercedes-Benz do Brasil e CEO para a América Latina, reconhece que o sedã médio estava precisando de mais ousadia. “O modelo já tinha se tornando referência no segmento, mas faltava mais uma direção mais dinâmica e um acabamento interior melhorado, que transmitisse o DNA Mercedes.”

Em 2007, o Classe C dominava o segmento de sedãs médios, com 44% de market share, à frente do BMW Série 3, com 43%, e do Audi A4, com 13%. No primeiro semestre de 2014, a liderança foi do modelo da BMW, com 57% de participação. A quarta geração do Classe C tinha até agora uma fatia de 30%.

Com a esfriada nas vendas, a empresa identificou os pontos críticos e finalmente mudou o que precisava, “na expectativa de justificar cada centavo que o veículo custa”, como frisou Schiemer durante apresentação do modelo na terça-feira, 12, à imprensa.

escrever Dianteira e traseira estão mais irreverentes, com vincos marcantes.

MUDANÇAS: CARROCERIA, MOTOR E DESIGN

Para chegar ao novo Classe C, a marca alemã teve de mexer bastante na geração anterior, a começar pela estrutura. Segundo Dimitris Psillakis, diretor de automóveis da Mercedes-Benz do Brasil, a carroceria do novo Classe C é totalmente nova. É feita em grande parte de alumínio, em pontos de ancoragem dos bancos, por exemplo, além de contar com aços mais leves e resistentes. O alumínio também está presente nos capôs dianteiros e traseiros, nas quatro portas, no teto, no para-choque, no para-lama, no diferencial traseiro, na nova suspensão e na carcaça da transmissão automática de sete velocidades.

Comparado com o modelo antecessor, o conteúdo de alumínio aumentou de menos de 10% para quase 50%, segundo a Mercedes. Como resultado, o Classe C, que também ganhou da direção elétrica no lugar da hidráulica (para aumentar o conforto e agilidade), ficou 60 quilos mais leve, apesar de ter crescido 80 milímetros na distância entre-eixos e de estar 95 milímetros mais longo e 40 milímetros mais largo. É uma redução significativa de peso e que melhorou bastante a dinâmica e estabilidade do sedã, agora mais próximo do solo e até 20% mais econômico.

A segurança do sedã também aumentou com a nova carroceria. Nos testes do Euro NCAP, realizados em 2014, o veículo foi avaliado com nota máxima em todas as categorias: de proteção ao adulto, à criança e ao pedestre. Também contribuíram para o bom desempenho os sete airbags (dois de cortina, dois frontais, dois laterais e um de joelho) e duas novidades desta geração: o freio de estacionamento elétrico, acionado no painel do veículo, e o sistema “vectoring brake”, que ajuda na distribuição de tração do freio traseiro em movimentos de curva, sem a necessidade de esterçar o volante.

O motor que equipa as versões C180 Avantgarde e C180 Exclusive, 1.6 turbo de 156 cavalos, é o mesmo herdado da geração anterior. Ele vai de 0 a 100 km/h, segundo a fabricante, em 8,5 segundos. Já o propulsor 2.0 turbo de 184 cavalos, da C200 Avantgarde, foi recalibrado para ganhar mais torque, o equivalente a 300 Nm. Alcança os 100 km/h em 7,3 segundos. O motor 2.0 turbo de 211 cavalos do C250 Sport, o mais potente, também passou pelo mesmo processo de recalibração. Seu torque atual é de 350 Nm. Vai de 0 a 100 km/h em apenas 6,6 segundos.

No design de exterior, as mudanças são perceptíveis no capô bastante grande na dianteira, nos faróis de Led, nos vincos laterais, que o deixaram mais largo e imponente, e no desenho mais irreverente da lanterna. No interior, o nível de acabamento está mais nobre e com mais opções de cores. Um display central é o item que mais chama atenção no console, com uma tela de 7 polegadas ou 8,4 polegadas (na versão C250 Sport).

escrever Interior do C250 Sport, versão top, tem acabamento do painel e das portas em madeira preta fosca. Bancos são de couro natural.

VENDAS

Segundo Dirlei Dias, gerente sênior de vendas e marketing de automóveis Mercedes-Benz, de agosto a dezembro a marca espera vender 2,5 mil unidades do novo Classe C, com média de 500 unidades por mês. O executivo prevê que o C 180 Avantgarde responderá por 60% das vendas iniciais, enquanto o C180 Exclusive deve ficar com uma fatia de 10%, o C200 Avantgarde, com 20% e o C250 Sport, com 10%.

Para o ano que vem, são esperadas aproximadamente 6,7 mil unidades vendidas do Classe C, o mesmo volume recorde registrado pelo modelo no País em 2011. A Mercedes pretende voltar à liderança do segmento de sedãs médios, preparando o terreno para começar a produzir o Classe C no Brasil a partir de 2016.

Uma das estratégias para incentivar as vendas é o aumento da rede de concessionárias espalhadas pelo País. Em 2012, a Mercedes-Benz tinha 34 lojas. Em 2013, este número subiu para 38. Deve chegar a 47 até o fim deste ano e a 58 concessionárias até o fim de 2015.

De acordo com as expectativas do diretor Psillakis, o mercado de veículos premium, que em 2010 vendia 20 mil carros por ano, deverá somar 38 mil unidades em 2014, sendo 11 mil Mercedes. No ano que vem, das 40 mil unidades esperadas, 18 mil deverão ser da marca. “Este é um segmento pouco afetado pela instabilidade econômica, que não depende exclusivamente de financiamentos, e que só tende a crescer com mais e mais lançamentos, como o novo Classe C.” Os novos Mercedes-Benz CLS e GLA 45 AMG deverão ser lançados em novembro e dezembro, respectivamente. Para 2015, estão programados os novos Classe B, C63 AMG, S Coupé e o ML Coupé.



Tags: Mercedes-Benz, Classe C, sedã, premium, luxo, lançamento.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

AB Inteligência