Automotive Business
Siga-nos em:
AB Inteligência

Notícias

Ver todas as notícias

Balanço | 08/08/2014 | 16h11

Faturamento da Randon recua 9% no semestre

Resultado negativo força revisão de projeções financeiras para baixo

REDAÇÃO AB

O baixo crescimento econômico e consequente queda nas vendas de caminhões afetou negativamente o desempenho das Empresas Randon. Considerando os dados do primeiro semestre divulgados pela empresa, o faturamento bruto apresentou retração de 9% contra igual período do ano passado, ao atingir R$ 2,9 bilhões, enquanto a receita líquida caiu 2,6%, para R$ 2 bilhões. O balanço mostra ainda que na mesma comparação, as exportações foram 13,5% menores, fechando em US$ 101,6 milhões.

Por outro lado, o lucro bruto cresceu 6,6% no primeiro semestre, consolidado em R$ 522,8 milhões contra os R$ 490,2 milhões registrados há um ano. A margem bruta ficou em 26,4%, um aumento de 2,3 pontos porcentuais sobre a margem registrada no primeiro semestre do ano passado.

Sobre os índices negativos, o diretor financeiro e de relações com investidores da Randon, Geraldo Santa Catarina, aponta que as dificuldades de financiamentos no primeiro trimestre também influenciaram parte das vendas do segundo trimestre:

“A demanda enfraquecida do setor automotivo, as expectativas quanto às eleições e as previsões pessimistas pesaram no fôlego do crescimento econômico do País”, observou.

Durante o primeiro semestre, para se adequar aos baixos volumes de vendas e ao ritmo de produção das montadoras de caminhões e equipamentos para o transporte, as Empresas Randon também adotaram férias seletivas e folgas para os funcionários em feriados prolongados.

NOVAS PROJEÇÕES

Com o resultado, a Randon revisou para baixo parte de suas projeções do balanço financeiro para o ano.

“A expectativa é que a demanda siga fragilizada nos próximos trimestres”, projeta o executivo, mesmo considerando as iniciativas governamentais como o retorno do programa Reintegra, a decisão de tornar permanente o IPI zero para caminhões e ônibus e a prorrogação do Finame PSI com a taxa atual até 2015, embora ainda não haja definição quanto às condições da verba destinada.

O faturamento bruto deve encerrar o ano em R$ 5,4 bilhões contra R$ 6,3 bilhões projetados anteriormente. Igualmente, o faturamento líquido passou de R$ 4,4 bilhões para R$ 4 bilhões, de acordo com as novas previsões da Randon. As exportações foram alteradas de US$ 260 milhões para US$ 210 milhões, enquanto as importações devem somar US$ 85 milhões – antes, projetava-se US$ 110 milhões.

Os investimentos previstos para o ano bem como o faturamento gerado no exterior permanecem inalterados, em R$ 150 milhões e US$ 90 milhões, respectivamente.



Tags: Randon, faturamento, receita, lucro.

Comentários

Conte-nos o que pensa e deixe seu comentário abaixo Os comentários serão publicados após análise. Este espaço é destinado aos comentários de leitores sobre reportagens e artigos publicados no Portal Automotive Business. Não é o fórum adequado para o esclarecimento de dúvidas técnicas ou comerciais. Não são aceitos textos que contenham ofensas ou palavras chulas. Também serão excluídos currículos, pedidos de emprego ou comentários que configurem ações comerciais ou publicitárias, incluindo números de telefone ou outras formas de contato.

Veja também

ABTV

AB Inteligência